Foto - Delta Airlines/Reprodução

O executivo-chefe da Delta Airlines, Ed Bastian, declarou novamente o interesse pela empresa em relação ao Programa NMA da Boeing, que projeta um novo avião para a faixa de 220 a 270 passageiros, que deve substituir definitivamente o Boeing 767 e 757.

De acordo com Ed Bastian, a Delta quer comprar até 200 aeronaves desse modelo, e espera que a Boeing acelere o processo de desenvolvimento do ‘797’.

De acordo com Ed Bastian, a Delta precisa de uma aeronave adequada nos próximos anos para substituir os seus aviões Boeing 757 e 767. A companhia é a maior operadora de aviões da família 757 em todo o planeta, com mais de 100 deles na sua frota.

A Delta já encomendou o A321neo, e o A330neo, mas mantém seu interesse pelo NMA, mesmo sendo uma grande cliente da Airbus.

Antes, a Boeing deveria lançar oficialmente o programa 797 no Paris Air Show em junho. Porém, no início deste ano, o fabricante anunciou que havia adiado sua decisão final até 2020 para o lançamento do programa. A fabricante norte-americana, em crise devido ao 737 MAX, viu a Airbus lançar o A321XLR, com base no A321neo, e conseguir mais de 400 encomendas desde junho.

De acordo com Ed Bastian, se o projeto for aquilo esperado pela Boeing, a companhia conseguirá voar para qualquer destino na Europa a partir do leste dos EUA, algo que o A321neo e suas variantes de longo alcance não são capazes de cumprir.

A Delta optou por uma mistura de aeronaves A321neo LR e A330-900neo, como forma de substituir os antigos A330, 767 e 757. Mas essa combinação ainda gera uma lacuna de alcance e capacidade de transportar passageiros.

O posicionamento de Bastian soa para a indústria como um incentivo para a Boeing, visto que publicamente a companhia está assumindo que pode encomendar pelo menos 200 aviões deste modelo.

 

O que sabemos até o momento sobre o NMA?

Por enquanto sabemos que a Boeing aposta em uma fuselagem oval, como na imagem acima, a empresa já declarou que tem a tecnologia para fabricar algo desse tipo, que só pode ser feito através de materiais compostos, de acordo com engenheiros da Boeing.

O NMA é focado no mercado de 200 a 300 assentos, hoje ocupado pelo A321LR e o Boeing 787, além da variante 737 MAX 10 e 9. Essa aeronave seria o projeto da Boeing para conseguir oferecer um alcance maior que 7500 km e a economia de um A321LR.

A configuração básica do NMA será de 2-3-2, com 7 assentos por fileira, sendo três no meio da aeronave, é algo com uma largura parecida com a do Boeing 767, mas com uma fuselagem oval e novos materiais, o peso total seria bastante inferior. A Boeing chama esse conceito de fuselagem híbrida, que hoje não pode ser feita sem o uso de materiais compostos.

O novo avião usará algumas tecnologias do Boeing 777X, como a asa dobrável com estrutura em material composto.

A Boeing estima que essa nova aeronave seria capaz de reduzir em 25 a 30 por cento o consumo, em comparação com um Boeing 787 de mesma capacidade.

O custo de desenvolvimento está sendo estimado entre US$ 10 bilhões a US$ 15 bilhões, incluindo a linha de fabricação e o novo motor.

Vale lembrar que essas características podem mudar até o anúncio oficial da aeronave.

 

Com informações de Airliner Watch.