Foto - Aero Icarus/Wikipedia

A Delta declarou que em breve vai acelerar a aposentadoria dos seus aviões MD-90, e está montando um novo cronograma de retirada das aeronaves da sua frota, com foco em melhorar os seus gastos com combustível.

“Esperamos acelerar a aposentadoria da nossa frota de MD-90”, disse Paul Jacobson, diretor financeiro da Delta Airlines.

A primeira aeronave MD-90 retirada da frota foi a de número de fabricação MSN 53382, com cerca de 58772 ciclos e 31998 horas de operação, o último voo dela foi no dia 23 de junho de 2017.

O novo cronograma deve ser divulgado no final do 2º trimestre deste ano, no total a companhia já retirou 25 aviões MD-90 da sua frota, desde 2017. Juntamente a empresa espera encerrar as operações com o MD-88 até o fim de 2020.

Atualmente a Delta opera com 37 aviões MD-90, e 79 do modelo MD-88. A companhia vai substituir esses aviões pelos A220-300, A320 e A321, fabricados pela Airbus.

Os aviões MD-90 da Delta têm uma idade média de 21,9 anos.