A demanda global por viagens aéreas domésticas e internacionais cresceu 6,3% em outubro em relação ao mesmo mês de 2017, informou a Associação Internacional de Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês).

A oferta também teve crescimento de 6,3% no período. O aproveitamento das aeronaves ficou estável, em 81,1%, o mesmo número registrado em igual período de 2017.

No ano, o transporte aéreo global de passageiros acumula crescimento de 6,7%, em relação ao mesmo período do ano passado.  A capacidade dos aviões, por sua vez, mostra aumento de 6% na mesma base de comparação. Com isso, o aproveitamento dos aviões é de 82,2%, aumento de 0,5 ponto percentual.

“O desempenho de outubro é reconfortante após o crescimento mais lento da demanda em setembro, números atribuídos às questões climáticas. No entanto, o cenário mais amplo é de que o crescimento do tráfego foi moderado em relação ao início de 2018, refletindo um cenário econômico misto e uma menor estimulação da demanda por tarifas menores”, diz o diretor geral e CEO da IATA, Alexandre de Juniac.

A América Latina registrou, em outubro, alta de 6,5% na demanda diante de igual mês de 2017. Já a oferta cresceu 9,1% na comparação anual. O fator de aproveitamento teve queda de 2 pontos percentuais, chegando a 80,9%.

De janeiro a outubro, o desempenho na região acumula aumento de 6,1%, em relação ao mesmo período do ano passado, com a capacidade dos aviões em expansão de 6,6% e taxa de ocupação de 81,5%, redução de 0,4 ponto percentual.

 

Mercado de cargas

Foto – Aeroporto de Viracopos/Divulgação

O transporte aéreo global de cargas cresceu 3,1% em outubro, em relação ao mesmo mês de 2017, informa a Associação Internacional do Transporte Aéreo (IATA, na sigla em inglês).

A capacidade dos aviões para esse tipo de atividade teve aumento de 5,4% na mesma comparação, com o aproveitamento das aeronaves de 50,4%, redução de 1,1 ponto percentual.

De janeiro a outubro, a demanda por transporte aéreo de caras acumula crescimento de 4,3%, diante de igual período do ano passado. A capacidade dos aviões mostra aumento de 5,4% na mesma comparação, com aproveitamento dos aviões de 48,9%, recuo de 0,5 ponto percentual.

 

Via – ABEAR