P-8A Poseidon da Us Navy- Foto: Marinha dos EUA pelo especialista em comunicação de massa 1a classe Bryan Niegel

Um avião de patrulha marítima P-8A Poseidon da Marinha dos EUA foi alvo de um laser vindo de um destróier 161 da República Popular da China (PRC) no último dia 17 de fevereiro, enquanto voava no espaço aéreo acima das águas internacionais a aproximadamente 380 milhas a oeste de Guam.

O P-8A estava operando no espaço aéreo internacional de acordo com regras e regulamentos internacionais. As ações do destróier da Marinha da RPC foram inseguras e pouco profissionais.

De acordo com uma declaração da marinha norte-americana:

Continua depois do anúncio

“Esses atos violam o Código para Encontros Não Planejados no Mar (CUES), um acordo multilateral alcançado no Simpósio Naval do Pacífico Ocidental em 2014 para reduzir a chance de um incidente no mar. O CUES trata especificamente do uso de lasers que podem causar danos ao pessoal ou ao equipamento. As ações do destróier também foram inconsistentes com um Memorando de Entendimento (MOU) entre o Departamento de Defesa dos EUA e o Ministério da Defesa Nacional da RPC no que diz respeito a regras de comportamento para a segurança de encontros aéreos e marítimos”.

O laser, que não era visível a olho nu, chegou a ser capturado por um sensor do P-8 Poseidon.Ainda de acordo com a declaração da marinha, o laser pode potencialmente causar sérios danos às tripulações e marinheiros, bem como aos sistemas de navios e aeronaves.

Aeronave P-8A da Us Navy- Foto: U.S. Navy by Mass Communication Specialist 2nd Class Juan S. Sua/Released

O P-8A é atribuído ao VP-45, com base em Jacksonville, Flórida, e está implantado na Base da Força Aérea de Kadena em Okinawa, Japão. O esquadrão realiza operações de rotina, patrulha marítima e reconhecimento na área de operações da 7ª Frota dos EUA.

Continua depois do anúncio

As aeronaves da Marinha dos EUA voam rotineiramente no Mar das Filipinas e o fazem há muitos anos. Os aviões e navios da Marinha dos EUA continuarão a voar, navegar e operar em qualquer lugar que a lei internacional permitir.

 

Fonte de apoio: Us Navy

Continua depois do anúncio