Com bastante dívidas, a companhia aérea mexicana Interjet está a venda, de acordo com o dono da empresa, Miguel Alemán Velasco.

A companhia está passando por um turbilhão de crise desde 2017, com vários fatores, o primeiro é causado por problemas de pós-venda e defeitos do avião russo Sukhoi SuperJet 100, e depois a companhia começou a sofrer em 2018 com a alta de combustível, ao mesmo tempo que a crise com o SSJ 100 agravava.

A Interjet só consegue operar com 5 aviões SuperJet 100, mas a companhia comprou no total 22 aeronaves. Boa parte desses aviões estão estocados, no aguardo de peças de manutenção ou adequações de recall.

A concorrência também aumentou no México, especialmente em voos regionais, devido a maior capacidade financeira da Aeromexico.

Sukhoi SuperJet 100 é um problema para as companhias que operam com a aeronave.

Dessa forma a companhia acumulou dívidas ao longo dos seus meses de operação. Atualmente Miguel Velasco procura interessados fora do país, como o Grupo IAG ou LATAM, que tenham interesse de operar voos no México, ou a partir do México, ao mesmo tempo o presidente da companhia não ressalta se mudanças no método de operação podem ocorrer antes de uma venda para outro grupo.

Atualmente a LATAM não tem uma filial no México, e a Avianca Holdings, principal concorrente, já conta com uma filial na América Central, através da compra da TACA no passado.