Dados de certificação atualizados da EASA confirmaram que o nível de ruído dos motores CFM International Leap-1A é comparável ao do rival Pratt & Whitney PW1100G, para as aeronaves A321neo da Airbus. Os testes da EASA foram realizados com um A321neo com duas motorizações distintas, ambas as aeronaves faziam parte da frota de testes da Airbus, o peso máximo de decolagem é de 93,5 toneladas.

De acordo com os dados obtidos pela a European Aviation Safety Agency, responsável pela certificação de aeronaves na Europa, o motor CFM Leap-1A emitiu somente 83,3dB enquanto estava sobrevoando uma área padrão, o motor PW1100G emitiu 85,2dB na mesma situação.

O ruído de aproximação para pouso do motor CFM Leap-1A foi de 94,7dB, enquanto o PW1100G registrou 94,5dB. O ruído de taxiamento lateral, considerando uma pessoa ao lado da aeronave que está taxiando, foi de 88,3dB para o motor Leap-1A, e 88,8dB para o motor PW1100G.

A321neo equipado com motores Leap-1A. Foto – Airbus

Ambos os níveis de ruídos para os motores são substancialmente inferiores aos valores indicados pela EASA para os antigos CFM56 e International Aero Engines V2500, que atualmente são as opções que podem equipar um A321ceo. A Organização Mundial da Saúde (OMS) indica que todo ruído acima de 85db já causa prejuízos para o sistema auditivo de um ser humano.

A medição de ruído em decibéis é feita com um aparelho chamado decibelímetro, devidamente calibrado para a realização de testes. No caso da EASA diversos decibelímetros são utilizados para aferir o ruído dos motores e ver se eles se encaixam nas categorias de emissão de ruído.

Aeronaves antigas, como o Boeing 707 (com motorização JT3D-3) e o Boeing 727-200 (com motorização JT-8), têm as operações proibidas em alguns aeroportos devido ao grande nível de ruído emitido pelos motores durante o taxiamento e decolagem, como no sobrevoo de cidades.

 

Veja um vídeo do Airbus A321neo equipado com motores CFM Leap-1A decolando:

 

Via – FlightGlobal