El AL Israel Airlines
Foto: Jacob Aviation

A El Al Israel Airlines iniciou a implementação de seu plano de reestruturação, e com isso a empresa iniciou os cortes já previstos. Inicialmente a companhia aérea irá cortar 2.000 funcionários, boa parte deles são tripulantes.

A El Al enviou uma carta de convocação para uma audiência entre as partes, antes da demissão. Parte dos funcionários demitidos, são contratos temporários. As demissões serão feitas de forma gradativa e por fases. 

A companhia aérea israelense realizou diversos acordos entre os sindicatos dos tripulantes e também de funcionários de solo. Todas as mudanças fazem parte do processo de reestruturação da empresa que se iniciou há 6 meses quando o comando da empresa foi trocado.

“Como parte do programa de racionalização, a El Al está anunciando em um momento crítico no caminho para receber um empréstimo do estado que a empresa enviou avisos de demissão para centenas de funcionários temporários apenas nesta fase.” Disse a empresa em comunicado. 

A companhia também recebeu um empréstimo do governo de Israel no valor de US$ 300 milhões, somados aos US$ 40 milhões investidos do dono da empresa, o executivo Eli Rozenberg.

Com o cronograma de vacinas no país, a empresa aproveitou e vacinou todos os seus funcionários que lidam diretamente com o passageiro. Israel é um dos países com maior índice de vacinação com 47% da população vacinada. 

A empresa não tem operado voos regulares, pois Israel ainda não reabriu as fronteiras para voos não essenciais. A El Al tem operado somente voos de repatriação e transporte de suprimentos e vacinas. Devido a isso, tem tido grandes perdas e lutado para manter o caixa em dia com os vencimentos.