Avianca Airlines
Foto - Via Avianca

Uma das primeiras atitudes que uma companhia pode tomar quando em crise é aumentar a sua oferta de assentos, mas sem acrescentar aviões na frota. Com isso a empresa pode ter um maior faturamento por voo, e consequentemente maior lucro.

E foi essa decisão que a Avianca Holdings tomou recentemente, e foi anunciada pelo CEO da empresa, Anko van der Werff.

A finalidade da Avianca é aumentar a quantidade de assentos nas suas aeronaves da família A320, e lançar novas tarifas, com preços mais baixos. Desta forma a Avianca Holdings conseguirá concorrer com as companhia aéreas Low Cost que estão ganhando força na América Latina nos últimos anos.

Continua depois do anúncio

“Nossos aviões A320, que usamos principalmente em rotas curtas dentro da América do Sul, possuem capacidade para 150 passageiros. A nossa ideia é colocar mais 20 ou 30 assentos e passar a transportar 175 passageiros”, destacou Anko.

Ao mesmo tempo Anko destaca a possibilidade do cliente montar o pacote ideal para seu voo, isso aponta que a Avianca Holdings entrará de vez no modelo Low Cost, pelo menos para voos de curta e média distância.

“O mercado de aviação cresce em todo o mundo. Podemos aprender muito com a eficiência das low costs”, disse Anko van der Werff.

Continua depois do anúncio

Mesmo assim Anko quer convencer aos clientes que a companhia não se tornará “Low Service” no longo prazo, ele destaca vantagens como programa de fidelidade e voos de longa distância com frota widebody confortável, apesar que seus voos internacionais também serão afetados por medidas “Low Service”.

A Avianca Colombia deve começar a implementar esse tipo de serviço em novembro deste ano, além dela, as subsidiárias no Equador e Peru devem receber as alterações a partir deste mês.

Continua depois do anúncio