KC-390 Millennium C-130 Hércules FAB
Aeronaves C-130 Hércules e KC-390 Millennium, os dois maiores aviões em serviço militar no país. Foto: Soldado A. Soares/FAB.

O presidente Jair Bolsonaro defendeu o corte que a Força Aérea Brasileira fez no contrato de aquisição de aeronaves KC-390. Bolsonaro apoiou a alteração dos contratos no sábado (13) durante sua visita em Dubai, nos Emirados Árabes Unidos. 

Segundo a Folha de São Paulo, Bolsonaro afirmou que conversou com o Comandante da Aeronáutica, Tenente Brigadeiro Baptista Jr. “Não tem como comprar tudo aquilo. Temos que ter uma frota que possamos manter operacional”, disse o presidente. 

Bolsonaro também disse que não há uma quebra de contrato, contrariando a Embraer. “Estamos buscando uma negociação com bastante antecedência”, afirmou. O presidente chegou aos Emirados no sábado, onde vai participar do Dubai Airshow 2021. O evento, que começou neste domingo, reúne países, fabricantes e companhias do setor aeronáutico civil e militar. 

Um dos primeiros compromissos do presidente foi se reunir com Mohammed bin Rashid Al Maktoumm, emir de Dubai e primeiro-ministro dos Emirados Árabes. Bolsonaro também revelou que na conversa, o Emir manifestou interesse em adquirir unidades do cargueiro tático da Embraer. A partir do pavilhão real, uma área restrita para autoridades, ele assistiu à apresentação das aeronaves no aeroporto de Dubai. 

Na sexta-feira (12), a FAB publicou um artigo do Brigadeiro Baptista Jr., onde o oficial fala sobre o corte no contrato das aeronaves. Por restrições orçamentárias, a FAB optou por reduzir de 28 para 15 o número de KC-390 adquiridos. Ainda em maio foi anunciada a renegociação do contrato. As duas partes conversaram, mas a Embraer não aceitou a proposta do Comando da Aeronáutica. 

“Considerando a decisão da Embraer e a impossibilidade de permanecer com a execução do contrato nas quantidades atuais, a Força Aérea Brasileira, no intuito de resguardar o interesse público, iniciará, dentro dos limites previstos na lei, os procedimentos para a redução unilateral dos contratos de produção das aeronaves KC-390, fato inédito e indesejável nessa importante e cinquentenária relação.”

No mesmo dia, a Embraer publicou uma nota voltada aos credores e acionistas, afirmando que assim que for notificada pela União, buscará medidas legais. Em resumo, FAB e Embraer estão em um impasse inédito, que agora deve parar na Justiça. Por outro lado, tanto a Aeronáutica quanto a fabricante reforçaram a parceria de mais de 50 anos. 

KC-390, Gripen e F-5EM voam juntos durante a solenidade do Dia do Aviador em Brasília.

Os contratos de aquisição foram fechados entre a Embraer e a União em 2014. Pelo valor de R$ 7.255.896.086, o Governo firmou a compra de 28 aeronaves KC-390. Desde 2019 a FAB já recebeu quatro aviões, atualmente em serviço no Esquadrão Zeus (1º GTT) na Base Aérea de Anápolis. 

As duas organizações se uniram para desenvolver a aeronave em 2008, com o objetivo de produzir um substituto para o C-130 Hércules. O KC-390 já foi adquirido por Portugal e Hungria, pode transportar até 26 toneladas e é capaz de realizar diversas missões. 

Saiba mais sobre o KC-390 e suas capacidades nos vídeos abaixo. 

DEIXE UMA RESPOSTA