F-39E Gripen. Foto: Saab/Divulgação.

O Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, Comandante da Aeronáutica, recebeu na última segunda-feira (09) o Presidente do Senado Federal e do Congresso Nacional, o Senador Rodrigo Pacheco. Dentre os assuntos tratados na reunião – a primeira desde que as autoridades assumiram a liderança das respectivas instituições – estão o novo caça da Força Aérea Brasileira, o F-39 Gripen, e o cargueiro multimissão KC-390 Millennium. 

Foto: Sgt. Bianca Viol/FAB/Divulgação.

Segundo a FAB, o encontro também contou com a presença de Oficiais-Generais do Alto-Comando. Conforme o Comandante, na oportunidade, foram apresentadas características da Força Aérea, como fatos históricos e a visão de futuro que consta na Diretriz de Comando.

“Enfatizamos nossa prioridade nos Programas Estratégicos como o KC-390 Millennium, o Gripen, o Programa Espacial e a importância que demos na formulação do Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) de 2022, que estará no Congresso a partir de 31 de agosto”, explicou. 

FAB
Aeronaves KC-390 Millennium da FAB. Foto/Divulgação: FAB por Sgt. Bianca Viol.

Na ocasião, o Brigadeiro Baptista Jr. destacou junto ao Senador outros temas que pautarão a agenda legislativa, como a criação da lei geral do espaço, considerada imprescindível para o Brasil discutir o programa espacial, além de ratificar o acordo de ciência e tecnologia assinado com os Estados Unidos.

Foto: Sgt. Bianca Viol/FAB/Divulgação.

O Presidente do Senado demonstrou, durante o encontro, seu encantamento com a história e as ações da Força Aérea, além do desejo de conhecer outras Organizações Militares. Para tanto, o Comandante convidou o Senador a visitar os Centros Integrados de Defesa Aérea e Controle de Tráfego Aéreo (CINDACTA), distribuídos por todo País, para conhecer o trabalho de controle da Aviação civil, militar e estrangeira no Brasil e, também, o Centro de Operações Espaciais (COPE), localizado em Brasília (DF), para saber como ocorre o controle de satélites brasileiros de comunicações.

Via Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA