Nesta semana a Embraer iniciou uma espécie de assessoria dos bancos Citi e Goldman Sachs para prosseguir com a compra de ações pela Boeing, iniciando dessa forma a parceria anunciada pelas empresas no final de 2017.

A Embraer contratou as instituições citadas para facilitar a aquisição, visto que a Boeing comprará ações presentes também nas bolsas de valores. Os bancos contratados pela Embraer vão auxiliar nas questões legais (leis) que envolvem o processo de aquisição de parte das ações pela Boeing.

A Embraer ainda contratou Paulo Aragão, que é um advogado vinculado ao escritório BMA Advogados.

A Embraer já está fazendo a primeira parte do início das questões legais, ela avisou na segunda-feira para a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) que não planeja tirar o controle do Governo Brasileiro, dessa forma a fabricante facilita a aprovação do governo em relação aos negócios da Boeing, apesar que o Ministério de Defesa ainda pede esclarecimentos sobre as negociações que envolvem a divisão de defesa da Embraer.

O intuito da Embraer é ser extremamente transparente nas negociações e evitar qualquer problema com os acionistas ou governo, dessa forma a empresa precisa saber suas limitações legais sobre a aquisição de parte da empresa por uma instituição estrangeira.