Embraer Turboélice
Imagem: Divulgação Embraer

Com os planos de voltar com uma nova aeronave para o mercado regional de turboélices, a Embraer terá decisões importantes a serem acertadas, mas ao que tudo indica, só serão reveladas em 2023. 

Conforme publicado pelo portal Flight Global, Francisco Gomes Neto, atual executivo-chefe da Embraer, disse que a fabricante ainda não decidiu se lançará primeiro uma variante de 70 ou 90 lugares. 

“Esperamos que, no início do próximo ano, possamos anunciar uma decisão sobre o desenvolvimento do turboélice, acreditamos que estaremos prontos até o primeiro trimestre de 2023”, disse o executivo no dia 30 de maio. 

Incluindo uma nova família de aeronaves turboélices, a Embraer também planeja desenvolver o uso de queima de hidrogênio, o que demandaria o desenvolvimento de variantes com tanques específicos, necessitando de um redesenho no projeto das aeronaves, o que explica os motores na cauda

Segundo a Embraer, o novo turboélice com 70 lugares seria o ideal para as empresas aéreas dos Estados Unidos, visando também substituir os jatos regionais de 50 lugares de geração anterior, com a opção de 90 assentos sendo mais atrativo para outros mercados, como a Europa, por exemplo. 

Além da Embraer, a fabricante ATR também anunciou uma nova geração do seu turboélice com design redesenhado e motor com capacidade híbrida, acirrando a disputa em um mercado que tende para o desenvolvimento de aeronaves mais sustentáveis. 

Por fim, a Embraer também planeja desenvolver uma aeronave híbrida-elétrica com capacidade para 9 passageiros até meados de 2030, quando em 2035 a fabricante planeja colocar em serviço a sua primeira aeronave totalmente elétrica, para então em 2040, lançar uma aeronave regional de 35 a 50 lugares movido a biocombustível ou hidrogênio.

Com informações: FlightGlobal