A Embraer lançou hoje uma estimativa de demanda de 10.550 novas aeronaves com capacidade para até 150 assentos nos próximos 20 anos.

Este mercado é avaliado em USD 600 bilhões. A frota de aeronaves em serviço deve aumentar para 16 mil unidades no período, comparado às nove mil que estão atualmente em operação.

O crescimento do mercado vai estimular 65% dessa demanda, enquanto os 35% restantes serão para reposição de aviões antigos.

Enquanto a previsão regional varia significativamente, eficiência e sustentabilidade permanecem como principal motivo da projeção de demanda deste mercado. Neste sentido, o segmento de até 150 assentos vai compor de forma ainda mais integral parte do ecossistema do transporte aéreo global.

O desempenho econômico da indústria de transporte aéreo vai depender principalmente de como aumentarão os custos e até que ponto a indústria sustentará um ambiente de receita vigorosa. De acordo com a Embraer, as aeronaves de até 150 assentos estão mais bem posicionadas para combinar eficiência de custo com maior receita unitária.

“O desempenho passado não é garantia de resultados no futuro. Apesar do crescimento da indústria ter superado todas as expectativas nos últimos anos, estamos nos preparando para um período de aumento de custos, com contínua pressão por aumento da rentabilidade. Os lucros estão caindo e os ganhos desaparecendo com o aumento de custos”, disse John Slattery, Presidente & CEO da Embraer Aviação Comercial.

Foto – Embraer/Reprodução

A nova linha de produtos do segmento desafia o “paradigma” de que aeronaves menores necessariamente têm custo por assento maior, aproximando a eficiência operacional por assento de grandes aeronaves de corredor único, com um custo por viagem aproximadamente 20% menor.

Vale destacar que as aeronaves do segmento de até 150 assentos são um dos principais pilares de sustentabilidade do negócio da Embraer.

Em uma estimativa lançada pela Airbus nessa semana, ela declarou que o mercado de aeronaves regionais vai demandar cerca de mais de 3000 novos aviões na faixa de 100 a 150 assentos nos próximos 20 anos.

Vale lembrar que essa demanda da Embraer inclui também aviões como o E175-E2, com capacidade para cerca de 80 passageiros, e os ATRs, que em suas duas versões oferecem opções com capacidade máxima para 50 passageiros e 78 passageiros.

 

Segmento de até 150 assentos – Entregas por região

Região

Entregas

Participação

Ásia-Pacífico

3.000

28%

América do Norte

2.780

27%

Europa

2.240

21%

América Latina

1.140

11%

CEI*

580

6%

África

450

4%

Oriente Médio

360

3%

Mundo (2018-2037)

10.550

100%