Embraer fala sobre aumento nas entregas de aeronaves, mas vê desafios à frente

Embraer
Foto - Embraer

Nesta terça-feira (10/11) a Embraer apresentou os seus resultados financeiros do 3º trimestre, e apesar do prejuízo no período, menor em comparação com outras empresas do setor, a fabricante brasileira disse que já há um maior movimento de entregas em outubro, que faz parte do 4º trimestre.

De acordo com a Embraer, em outubro houveram mais entregas de aeronaves em comparação com o acumulado nos meses de julho a setembro, ou seja, no 3º trimestre.

No acumulado do ano em 2020, até setembro, a Embraer entregou 16 jatos comerciais e 43 jatos executivos (33 jatos leves e 10 jatos grandes), o que se compara aos 54 jatos comerciais e 63 jatos executivos entregues durante os primeiros nove meses de 2019.

As entregas devem ser impulsionadas no 4º trimestre pelos jatos executivos, que continuam em leve alta, considerando o complicado período enfrentado pela aviação. Além disso, a divisão de aeronaves militares também deverá ser destaque nos últimos meses de 2020 e no início de 2021.

De acordo com Francisco Gomes Neto, presidente da Embraer, em uma conferência com investidores nesta terça-feira, o próximo ano ainda deverá ser de desafios e queda nas entregas de novas aeronaves, visto que a pandemia registra uma segunda onda nos Estados Unidos e Europa, os principais mercados de aviação do mundo.

No entanto, a Embraer planeja reduzir o prejuízo ao longo de 2021, e tem caixa para manter suas operações por diversos meses, mesmo com o cenário ruim.

Às 12h30 as ações da Embraer (EMBR3) registravam queda de 4,32%, cotadas a R$ 7,09 na B3.


 

DEIXE UMA RESPOSTA