A Embraer apresentou hoje o seu resultado financeiro do segundo trimestre de 2018, e conjuntamente o resultado do primeiro semestre que representa o acumulado do ano.

Você pode ver mais detalhes sobre o financeiro da empresa no segundo trimestre (2T18) consultando o relatório total, Clicando Aqui, e também pode ver os destaques do segundo trimestre Clicando Aqui.

Abaixo está um resumo do financeiro da Embraer no segundo trimestre de 2018.

 

Receita

No 2T18, a Receita líquida foi de R$ 4.533,1 milhões, apresentando 20% de queda em relação ao 2T17 em função de um menor número de entregas nos segmentos de Aviação Comercial e Executiva e uma queda significativa na receita do segmento de Defesa & Segurança como resultado da revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390.

Além disso, a receita desse segmento no 2T17 foi a maior registrada entre todos os trimestres de 2017 devido ao impacto do lançamento do satélite SGDC, ocorrida em maio desse mesmo ano. Essas quedas foram parcialmente compensadas pelo crescimento de 18% na receita do segmento de Serviços & Suporte no mesmo período.

Em função dos fatores expostos acima, no 1S18, a receita líquida da Embraer foi de R$ 7.760,4 milhões, representando uma queda de 13% em comparação aos R$ 8.969,5 milhões do 1S17.

A Margem bruta consolidada caiu de 17,8% no 2T17 para 10,7% no 2T18 impactada principalmente pela já mencionada revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390. No 1S18, a Margem bruta consolidada foi de 13,9% comparada aos 17,4%, do 1S17.

 

Lucro

No 2T18, a Embraer apresentou Prejuízo líquido de R$ 467,0 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,6367. Isso se compara, no 2T17, com o Lucro líquido de R$ 200,9 milhões e com o Lucro por ação de R$ 0,2732.

No 1S18, o Prejuízo líquido foi de R$ 507,1 milhões e Prejuízo por ação de R$ 0,6913, enquanto no 1S17 a Companhia apresentou um Lucro líquido de R$ 369,4 milhões e um Lucro por ação de R$ 0,2732.

O Lucro líquido ajustado, excluindo Imposto de renda e contribuição social diferidos e também o impacto líquido, após imposto do item especial não recorrente descrito anteriormente, foi de R$ 2,3 milhões no 2T18, comparado ao Lucro líquido ajustado de R$ 409,4 milhões no 2T17.

O Lucro por ação excluindo-se esses mesmos itens foi de R$ 0,0031 no 2T18, comparado ao Lucro por ação de R$ 0,5567 do 2T17. No 1S18, o Prejuízo líquido ajustado foi de R$ 75,5 milhões, comparado ao Lucro líquido ajustado de R$ 535,6 milhões no 1S17. O Prejuízo por ação ajustado foi de R$ 0,1027 no 1S18, comparado ao Lucro por ação ajustado de R$ 0,7283 do 1S17.

O lucro (prejuízo) líquido e o lucro (prejuízo) líquido ajustado no 1S18 foram negativamente impactados por menores resultados operacionais, além de maiores despesas financeiras líquidas e perdas cambiais líquidas.

O crescimento das despesas financeiras líquidas se deve em grande parte pela atual posição de dívida líquida e à menor receita financeira dO caixa e equivalentes, enquanto que as perdas cambiais estão associadas à desvalorização recente do real em relação ao dólar norte-americano.

 

Resultado operacional

KC-390. Foto – Embraer

No trimestre, o EBIT e EBITDA foram de R$ -(82,8) milhões e R$ 140,4 milhões, respectivamente, levando a margens de -1,8% e 3,1%. O EBIT e o EBITDA reportados incluem o impacto negativo de um item especial, não recorrente de R$ 458,7 milhões, referente à revisão da base de custos do contrato de desenvolvimento do KC-390, em decorrência do incidente com o protótipo 001 ocorrido em maio (pág. 9).

O EBIT e o EBITDA ajustados do 2T18 foram de R$ 375,9 milhões e R$ 599,1 milhões, respectivamente e excluem o impacto da revisão da base de custos do KC-390.

Por sua vez, as margens EBIT e EBITDA ajustadas foram de 8,3% e 13,2%, respectivamente.

No acumulado do primeiro semestre de 2018 (1S18), as margens EBIT e EBITDA ajustadas foram de 6,0% e 11,5%, respectivamente, dentro das estimativas da Embraer para 2018 de margens ajustadas EBIT entre 5% e 6% e EBITDA entre 10% e 11%;

É importante ressaltar que o impacto não recorrente da revisão de base de custos do KC-390, ocorrida no 2T18, não influencia as estimativas da Companhia para 2018 de EBIT ajustado de US$ 270 a US$ 355 milhões, de EBITDA ajustado de US$ 540 a US$ 650 milhões e de margens ajustadas EBIT entre 5% e 6% e EBITDA entre 10% e 11%.

Excluindo-se esse impacto de R$ 458,7 milhões referente ao KC-390, o EBIT e o EBITDA ajustados do 2T18 foram de R$ 375,9 milhões e R$ 599,1 milhões, respectivamente e as margens EBIT e EBITDA ajustadas foram de 8,3% e 13,2%, respectivamente.

 

Entregas

Embraer E190-E2

A Embraer entregou 28 aeronaves comerciais e 20 executivas (15 jatos leves e 5 jatos grandes) no 2T18, para um total acumulado de 48 aeronaves entregues no trimestre. Isso se compara a um total de 59 aeronaves entregues no 2T17, das quais 35 foram comerciais e 24 executivas (16 jatos leves e 8 jatos grandes).

Durante os seis primeiros meses de 2018 a Companhia entregou 42 jatos comerciais e 31 executivos (23 leves e 8 grandes), comparados ao mesmo período de 2017 quando foram entregues 53 jatos comerciais e 39 executivos (27 leves e 12 grandes).

A Embraer mantém sua previsão de entregar, no ano, de 85 a 95 jatos comerciais e de 105 a 125 jatos executivos (70 a 80 jatos leves e 35 a 45 jatos grandes). A Companhia espera que, conforme sazonalidade de anos anteriores, as entregas do segmento de Aviação Executiva aumentem significantemente ao longo do 4T18.

 

Backlog

No 2T18, a carteira de pedidos firmes (backlog) da Companhia fechou em US$ 17,4 bilhões e inclui os contratos do segmento de Serviços & Suporte.

 

PRINCIPAIS INDICADORES FINANCEIROS: