Foto - Embraer

A Embraer apresentou hoje (16/01) as projeções preliminares para 2019 e 2020, durante encontro com investidores na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE).

Este ano, a Embraer espera entregar entre 85 e 95 jatos comerciais, 90 a 110 jatos executivos, incluindo jatos executivos leves e grandes, 10 aviões A-29 Super Tucano e duas aeronaves multimissão KC-390.

A Embraer espera também entregar o primeiro E195-E2 neste ano, para a Azul Linhas Aéreas. Logicamente isso abrirá a linha de fabricação do novo jato para outro modelo, além do E190-E2 que já é fabricado na linha de montagem híbrida da Embraer, em São José dos Campos.

As receitas totais devem ficar entre US$ 5,3 bilhões e US$ 5,7 bilhões. A empresa espera atingir uma margem EBIT consolidada de breakeven (aproximadamente zero) no ano.

Aviação executiva é o destaque da Embraer para 2019, liderando em número de entregas.

É importante destacar que as projeções de 2019 incluem potenciais custos e despesas associadas com a criação de uma nova empresa (“JV Aviação Comercial”) em parceria estratégica entre a Companhia e a The Boeing Co. (“Boeing”) na Aviação Comercial (“Operação”), nos termos de fatos relevantes sobre o assunto publicados pela Companhia.

Com a conclusão da Operação de parceria descrita acima, estimada, de forma tentativa, para o final de 2019, a Embraer antecipa uma estrutura de capital sem alavancagem, com posição de caixa líquido de aproximadamente US$ 1,0 bilhão após o pagamento de um dividendo especial para os acionistas de aproximadamente US$ 1,6 bilhões (que, por sua vez, continua condicionada à confirmação de determinados requisitos, inclusive o resultado do exercício social).

Durante o evento em Nova Iorque, a Embraer também irá apresentar as projeções para o ano de 2020, o primeiro ano após a potencial conclusão da Operação que cria a parceria estratégica entre Embraer e Boeing na Aviação Comercial, conforme mencionado anteriormente.


As projeções apresentadas para 2020 contemplam 100% dos resultados esperados dos segmentos de Aviação Executiva e Defesa & Segurança (e os respectivos resultados vindos das áreas de serviços e suporte desses negócios) e excluem os resultados vindos da participação de 20% da Embraer na JV Aviação Comercial em parceria com a Boeing.

A Embraer espera atingir uma receita líquida entre US$ 2,5 bilhões e US$ 2,8 bilhões, uma margem EBIT entre 2% e 5% e uma geração de fluxo de caixa livre breakeven (aproximadamente zero) no ano de 2020.