Embraer Aviões China

Após muitos rumores sobre a parceria da Embraer com a China, principalmente depois de falas do vice-presidente Hamilton Mourão, a fabricante brasileira de aeronaves negou que está em negociações, ou interessada, com vários países.

A 3ª maior fabricante de aviões do mundo ressaltou em nota que não há andamento sobre novas parcerias, e agora vai se concentrar nas indenizações que tem a receber da Boeing.

No passado, a Embraer teve uma parceria com a estatal chinesa AVIC, para a produção de jatos executivos que tiveram como base o ERJ, no entanto, a parceria de produção que formou a Harbin Embraer Aircraft Industry Co. foi quebrada poucos anos depois.

Desde então a indústria chinesa de aviação, composta por várias empresas estatais, tenta entrar no ramo de aeronaves comerciais, mas sem Know How, os projetos existentes estão em atraso, ou foram lançados já desatualizados em relação ao mercado. Por esse motivo, muitas companhias aéreas chinesas continuam utilizando aviões da Embraer independente.

De acordo com o comunicado, e até mesmo com um vídeo gravado pelo CEO da Embraer, Francisco Gomes Neto, a empresa conta com uma boa liquidez em caixa, capaz de enfrentar a crise, bem como não tem dívidas significativas para os próximos anos.

Além disso, Gomes Neto afirma que a Embraer tem linhas de crédito abertas, e que a qualquer momento pode conseguir um empréstimo para sustentar as suas operações.

“Estamos tomando medidas adicionais para preservar nossa liquidez e manter nossas finanças sólidas durante esses tempos turbulentos”, acrescentou a Embraer sobre o comunicado.

“Outras medidas incluem ajustes no estoque, extensão dos ciclos de pagamento, redução de despesas e busca de financiamento”, disse a Embraer.

 

Segue o posicionamento oficial da Embraer:

“A Embraer é uma das líderes mundiais da indústria aeronáutica, com uma linha de produtos renovada e extremamente competitiva nos segmentos da aviação comercial, aviação executiva e defesa e segurança, o que certamente atrai o interesse de outros parceiros internacionais. No momento, não há nenhuma conversa ou negociação em andamento e não temos nada a comentar sobre novas parcerias.”

 

DEIXE UMA RESPOSTA