Embraer
Foto: Divulgação

A Embraer publicou suas Perspectivas de Mercado para os próximos 20 anos para o segmento de aeronaves comerciais com menos de 150 assentos. O relatório apresenta análises e tendências globais e regionais que influenciarão a demanda por novos jatos e turboélices até 2041.

Hoje, os executivos da Embraer destacaram os principais elementos do relatório em uma coletiva de imprensa durante o Farnborough Airshow, que incluíram:

Crescimento e Recuperação da Demanda

A demanda mundial por viagens aéreas, medida em receita por passageiro-quilômetro (RPK), crescerá 3,2% ao ano (CAGR) nas próximas duas décadas, um pouco menos do que a taxa de 3,3% prevista no ano passado.

O crescimento mais fraco reflete uma desaceleração de curto prazo da economia global, os efeitos da pandemia e o impacto do conflito Rússia-Ucrânia. Espera-se que os RPKs retornem aos níveis de 2019 até 2024.

Digitalização e Regionalização

Continuarão as tendências para o aumento da digitalização (home office, videoconferências) e regionalização (relocalização produtiva – reshoring), que surgiram no início da pandemia, e irão impulsionar a demanda por aeronaves de menor capacidade.

Foco na flexibilidade da frota e na transição para tecnologias verdes

A adequação da capacidade à demanda é a maneira mais sustentável de capturar as oportunidades de crescimento no mundo pós-pandemia.

Novas tecnologias verdes tendem a se concentrar em aeronaves de menor porte, onde as inovações são incialmente aplicadas antes da introdução em plataformas maiores. Nesse contexto, aviões menores são elementos-chave para viagens aéreas mais sustentáveis, além de melhorar igualmente a conectividade.

Conversões de aviões de passageiros para cargueiros

O forte crescimento do comércio eletrônico está abrindo novos mercados para aeronaves a jato de carga com menor capacidade, impulsionando a demanda por conversões de passageiros para cargueiros.

Entregas de novas aeronaves – Por números:

Demanda global por novas aeronaves de até 150 assentos 10.950 unidades com 8.670 jatos e 2.280 turboélices.

Valor de mercado de todas as novas aeronaves US$ 650 bilhões:

Taxa de crescimento anual de RPK – classificada por região:
4,3% na Ásia-Pacífico (inclui China)
4,0% na América Latina
3,8% na África
3,2% em Média Global
3,2% no Oriente Médio
2,3% na Europa
2,0% na América do Norte

Participação de RPK até o final de 2041:
42% na Ásia-Pacífico
38% na Europa + América do Norte

Entregas de jatos – 8.670 (% de participação):
2.740 aeronaves na América do Norte (31,6%)
2.230 aeronaves na Ásia-Pacífico (25,7%)
2.320 aeronaves na Europa e CEI (26,8%)
750 aeronaves na América Latina (8,7%)
330 aeronaves no Oriente Médio (3,8%)
300 aeronaves na África (3,5%)

Entregas de turboélices – 2.280 (% de participação):
960 aeronaves no Ásia-Pacífico (42,1%)
500 aeronaves na Europa e CEI (21,9%)
400 aeronaves na América do Norte (17,5%)
200 aeronaves na África (8,8%)
180 aeronaves na América Latina (7,9%)
40 aeronaves no Oriente Médio (1,8%)

 

 

Via: Embraer