O problema de engenharia da Pratt & Whitney com os motores Pure Power também afetará a Embraer, depois de causar vários problemas em aviões da Airbus (A320neo) e Bombardier (CSeries).

Durante um pronunciamento antes da abertura do Singapore Airshow, que ocorrerá a partir de amanhã, o vice-presidente de marketing da Embraer Commercial Aircraft, Rodrigo Silva e Souza, confirmou que as primeiras unidades do E-Jet precisarão de uma atualização de motor futuramente.

Isso é devido o estoque de motores produzidos pela Pratt & Whitney. De acordo com Rodrigo, menos de seis aeronaves serão afetadas por esse problema, serão as primeiras produzidas pela empresa.

Esses motores de “configuração B” que vão equipar os primeiros E190-E2, ainda têm problemas de durabilidade da câmara de combustão, defeito encontrado nos outros motores da família Pure Power que equipam os aviões da Airbus e Bombardier.

A Pratt & Whitney já desenvolveu uma correção para esse problema, criando a “configuração C” do motor, sem os defeitos de durabilidade da versão anterior. As aeronaves futuras já serão equipadas com essa versão, visto que o estoque da fabricante será renovado.

Para as aeronaves afetadas, a substituição será gradual até o final de 2018 e paga pela própria fabricante do motor.

O motor do E-Jet E2 não sofreu com os problemas de atrito nas blades e núcleo do motor, enfrentados pelo A320neo da Airbus e a família CSeries. Isto devido à engenharia diferente do motor fornecido à Embraer, que se difere do PW1100G e 1500G, estes últimos usam o mesmo princípio de engenharia, com estágios similares.

Os problemas ocorridos foram resolvidos pela fabricante durante a fase de testes (saiba mais Clicando Aqui).

A variante que equipa os aviões da Embraer é a PW1900G.

A Airbus e a Bombardier ainda enfrentaram um atraso nas entregas dos motores, que não afetará a Embraer, visto que a Pratt & Whitney já inaugurou sua nova linha de produção em Michigan (EUA).

 

Embraer no Singapore Airshow

A Embraer levou para o Singapore Airshow um E190-E2 com uma pintura temática especial para exposição.

O avião conta com um interior todo configurado para demonstração interna. No exterior a pintura em alusão a um tigre retorna com o termo “Profit Hunter”, apresentado no Paris Airshow através de um E195-E2.

O foco da Embraer é aumentar a quantidade de clientes no mercado asiático, que está em amplo crescimento nos últimos anos, e também ofertar o E195-E2 como um avião com economia de regional e alta capacidade de passageiros.

Slattery disse que o objetivo é aumentar o número de companhias aéreas que operam com o E-Jet, saltando de 70 para 100.

A viagem para Cingapura também terá uma parada na China, outro mercado em amplo crescimento, onde há companhias que operam com o E-Jet. Logo após a aeronave voltará ao Brasil.

 

Via – FlightGlobal