Boeing 737 MAX
Foto - Divulgação

A China Aircraft Leasing Corporation (CALC), reduziu seu número de encomendas para o 737 MAX, de um acordo feito em 2017 com a Boeing. Inicialmente o pedido seria para 50 aeronaves, posteriormente foi aumentado para 92. Algum tempo depois a empresa de leasing reduziu novamente depois da suspensão de voo do MAX.

Agora a China Aircraft Leasing Corporation(CALC) chegou a um acordo com a Boeing para adiar as entregas de algumas aeronaves e reduzir o número de entregas para 66. A empresa de leasing anunciou em comunicado na bolsa de valores o acordo firmado com a fabricante americana.

O 737 MAX ainda não foi certificado para voar na China, as autoridades ainda não chegaram ao consenso sobre as modificações no modelo. Se de um lado houve a redução de pedidos por outro o pedido para a Airbus permanece sem qualquer alteração.

Recentemente a China Aircraft aumentou seus pedidos do Airbus A321neo para 66 aeronaves, incluindo o pedido modificado do A320neo para o A321neo. Além disso, tem apostado também nos aviões chineses, a empresa se comprometeu a adquirir 30 ARJ21 com mais 30 opções de compra.