Dassault Mirage 2000-5EDA Catar
Dassault Mirage 2000-5EDA do Catar com mísseis MICA e Magic II. Foto: Paul Farley/US Navy via Wikimedia.

A companhia privada francesa ARES (Advanced REDAIR European Squadron) adquiriu 12 caças Dassault Mirage 2000-5 da Força Aérea do Catar. A empresa usará os aviões para fornecer treinamento adversário (aggressor) para pilotos da Marinha Francesa. 

Segundo informações do jornal francês Les Echoes, a ARES finalizou a aquisição de 12 caças Mirage 2000-5EDA/DDA. Contudo, a negociação não foi confirmada nem pela Ares ou pelo Governo do Catar, até o momento. 

Mirage 2000-5 da Força Aérea do Catar na Base Aérea de Souda, durante um treinamento com a Grécia em 2011. Foto: Louisa Gouliamaki/AFP/Getty Images.

De acordo com o portal, os aviões serão usados pela companhia no treinamento dos pilotos de Rafale M da Aviação Naval da Marinha Francesa (Aéronavale). Esse tipo de serviço é chamado de Red Air, onde as empresas privadas fazem o papel do inimigo (aggressor ou adversary) nos treinamentos de combate aéreo. 

Assim como a Força Aérea dos Estados Unidos, que recentemente concedeu US$ 6,4 bilhões em contratos para companhias privadas, as forças aéreas europeias precisam de mais treinamento de combate do que pode ser gerado internamente, aponta o Aerotime Hub.

A Agência Europeia de Defesa avaliou as necessidades das forças aéreas do velho continente em cerca de 22.000 horas de voo ao longo de cinco anos, um mercado potencial de 300 milhões de euros. A Força Aérea Francesa e a Aviação Naval não são exceção a esta regra.

Dassault Mirage 2000-5 C-17 Catar
Caças Mirage 2000-5EDA e DDA da Força Aérea do Catar. Ao fundo, um C-17 Globemaster III pousando. Foto: Louisa Gouiliamaki/AFP/Getty Images.

Poupando os Rafales 

A Marinha Francesa tem interesse em preservar o estado de seus 42 Rafale M. Eles foram os primeiros Rafales a serem entregues pela Dassault no início dos anos 2000. Embora tenham sido modernizados ao longo dos anos, nenhum novo jato de combate foi recebido desde então. 

Rafale M F3-R com o pod de reconhecimento RECO NG. Foto: Marinha Francesa.

Dessa forma, as horas de voo são reservadas para as missões mais críticas, como as operações embarcadas no porta-aviões Charles de Gaulle. Assim, a ARES foi contratada pela Marinha para fornecer 600 horas de treinamento por ano durante os próximos seis anos. As várias tarefas incluem simulações de ataque ar-solo e ar-superfície, reboque de alvos e atuação como adversário durante o treinamento de combate aéreo. 

Para tanto, a ARES buscou a aquisição dos Mirage do Catar. Doha está aposentando seus antigos delta à medida que os 36 Rafales vão chegando ao país. Além disso, o Catar também adquiriu 36 caças F-15QA Ababil e 24 Eurofighter Typhoon. 

Enquanto isso, a Força do Ar e Espaço Francesa ainda conta com os treinadores Alpha-jet de seu próprio esquadrão de treinamento, 3/8 Côte d’Or, para fornecer treinamento dissimilar para seus pilotos. 

Dassault Rafale Catar
Caças Dassault Rafale da Força Aérea Catariana. Foto: Dassault.

DEIXE UMA RESPOSTA