As pontas das asas do Boeing 777. Foto: Sergey Kustov via Wikipedia

As principais organizações regionais e atores que representam as companhias aéreas, aeroportos, provedores de serviços de navegação aérea, provedores da indústria e outros setores relacionados na América Latina e no Caribe estão renovando seu chamado conjunto para que governos e autoridades trabalhem unidos, coordenada e assertivamente, a fim de manter a viabilidade da indústria da aviação.

Compreensivelmente, os governos adotaram medidas drásticas, como proibições de viagens durante esta crise de saúde pública para proteger seus cidadãos e conter a pandemia da COVID-19.

No momento, o sistema de transporte aéreo está desempenhando seu papel, permitindo o transporte urgente de medicamentos, vacinas e pessoal vital, e o repatriamento seguro dos cidadãos através de suas muitas capacidades adicionais de transporte de emergência e acesso remoto.

No entanto, além desses voos críticos, o restante do setor de transporte aéreo em nossa região foi especificamente interrompido devido a restrições de mobilidade, proibições de viagens e fechamento de fronteiras em vigor. Como resultado, juntamente com outros negócios importantes da cadeia de valor, o setor está enfrentando cada vez mais uma crise de liquidez.

Reconhecemos e aplaudimos as medidas já implementadas em alguns governos para apoiar essa situação crítica e encorajamos outros a considerar urgentemente suas próprias medidas. Estamos passando por uma redução maciça no tráfego aéreo sem fim à vista e devemos garantir que os fornecedores da indústria sobrevivam a esta crise, pois terão um papel essencial a desempenhar na recuperação socioeconômica.

Entre as propostas temporárias específicas que sugerimos implementar em toda a cadeia de valor do transporte aéreo, solicitamos respeitosamente que seja considerado o seguinte:

    1. Ajuda na continuidade dos serviços prestados por companhias aéreas, aeroportos, prestadores de serviços de navegação aérea e serviços associados que apoiarão conjuntamente o retorno do tráfego aéreo comercial, garantindo a sustentabilidade econômico-financeira da indústria da aviação.
    1. Inclusão do setor da aviação em qualquer regime nacional ou pacote de ajuda especial para aliviar a grave situação atual.
    1. Facilitação da renegociação da dívida e permissão para que os orçamentos governamentais reinvistam no setor de aviação.
    1. Ajuste das condições de trabalho para empresas e funcionários sob acordos conjuntos como medida de contingência.
    1. Flexibilidade em relação às regras de slot e outras disposições que não são de segurança e que podem permitir que o setor retorne às operações rapidamente quando a contingência terminar.
    1. Alívio temporário do requisito de desenvolver infraestrutura aeroportuaria, particularmente para cumprir obrigações ou projetos de nível de serviço que o setor não exige imediatamente.
    1. Flexibilidade em relação às obrigações de qualidade de serviço até que as operações retornem ao normal.

Finalmente, e mais importante, solicitamos que qualquer medida de alívio seja considerada de maneira não discriminatória, sem que um setor se beneficie à custa de outro.


Também sugerimos fortemente uma colaboração maior entre a indústria e os governos, não apenas durante o restante desta crise, mas também durante sua fase de recuperação.

A América Latina e o Caribe dependem muito da conectividade aérea nacional, regional e internacional. Se a base deste setor não sobreviver à pandemia da COVID-19, a recuperação socioeconômica desta crise em toda a região será severamente prejudicada.

Permanecemos à sua disposição para avaliar e ajudar a determinar o planejamento da viabilidade e recuperação do transporte aéreo, que protegerá o bem-estar de sua população e a sustentabilidade econômica de seus países

DEIXE UMA RESPOSTA