Boeing 787
787 Premier at Everett Factory - July 8, 2007 K64106-11

A fabricante norte-americana Boeing ainda enfrenta alguns problemas com seu moderno jato 787, e por isso não deverá entregar os pedidos para a aeronave pelo menos antes do mês de outubro.

No mês de julho, a FAA realizou uma inspeção obrigatória em algumas aeronaves 787 e encontrou um problema no nariz do avião. Mesmo que o problema não afete a segurança operacional do modelo, a FAA iniciou uma profunda investigação no processo de fabricação da aeronave.

O foco da FAA neste momento é buscar soluções para a qualidade das peças instaladas na aeronave bem como o processo de montagem. Sem um acordo, a Boeing não poderá fabricar novos aviões e também não poderá entregar os que já estão prontos.

“Como dissemos, a Boeing está comprometida em fornecer total transparência aos nossos reguladores e trabalhar com a FAA por meio do rigoroso processo para retomar as entregas do 787. Envolvemo-nos com a FAA nesta questão em reuniões e sessões de trabalho ao longo de centenas de horas e continuaremos a fazê-lo.”

“Além disso, como dissemos anteriormente, a Boeing quer e espera que nossos companheiros falem livremente, façam perguntas e apresentem diferentes perspectivas sobre questões muito complexas e técnicas.”

Agradecemos a orientação e feedback da FAA em cada etapa do processo e ajustamos nossa abordagem quando necessário para atender a esse feedback. Embora esse trabalho tenha um impacto de curto prazo em nossas operações, é o curso de ação certo e continuaremos a tomar o tempo necessário para garantir que atendemos aos mais altos padrões.” Disse a Boeing.

A fabricante tem se mostrada preocupada com o volume de aeronaves não entregues durante este período. Diversas companhias aéreas estão utilizando o Boeing 787 como uma alternativa mais viável para a retomada de viagens longas, sem a entrega, as companhias aéreas precisariam buscar outras alternativas e refazer todo o planejamento.

Além disso a empresa poderia ter de realizar mais compensações financeiras, como ocorreu com o Boeing 737 MAX. A fabricante norte-americana não deve conseguir cumprir a meta de entregar todos ou a maioria até o final do ano, visto que as entregas serão retomadas somente após o novo problema ser solucionado, a fabricante estima poder retomar as entregas apenas no final de outubro. 

DEIXE UMA RESPOSTA