T-7A Red Hawk - Foto: Boeing

A equipe da Boeing do projeto do T-7A Red Hawk fez um teste ousado para demonstrar a confiabilidade da aeronave. O futuro jato de treinamneto da USAF teve seu motor desligado e reiniciado em voo.

Para ter uma maior margem de segurança a ação foi feita a mais ou menos 8.000 pés sobre a área de teste de Illinois. O jato voou por cerca de 48 segundos antes de reiniciar o motor GE F404 e aterrissar na fabrica da Boeing, em St. Louis.

 “O teste de partida do ar do motor requer uma grande quantidade de preparação, planejamento e trabalho em equipe”, disse o piloto-chefe da T-7A, Steve Schmidt. “É um teste de todos os subsistemas construídos para backup no caso de um piloto precisar desligar o motor em uma emergência e ligá-lo novamente”.

Schmidt realizou o teste com o colega piloto da Boeing William Berryman. O teste foi o mais recente sucesso de um programa que cumpre todos os seus marcos críticos de desenvolvimento. A empresa espera entregar o primeiro T-7A Red Hawk à Força Aérea dos EUA em 2023.

“Este é um testemunho não apenas da confiança que nossos pilotos têm na confiabilidade das aeronaves T-7A, mas também da equipe que projetou, projetou e construiu esta nova aeronave de treinamento para a Força Aérea”, disse Chuck Dabundo,  vice-presidente e gerente de programa do T-7A.

Em setembro de 2018, a Força Aérea dos EUA concedeu à Boeing um contrato de US $ 9,2 bilhões para fornecer aeronaves T-7A Red Hawk e simuladores de treinamento. Projetado pela Boeing e pela Saab, o T-7A já acumulou mais de 175 horas de voo em mais de 160 voos de teste de desenvolvimento.

 

DEIXE UMA RESPOSTA