Foto - Boeing/Divulgação

Recentemente um grande esquema de espionagem por parte da China foi descoberto pelo Governo dos Estados Unidos, através da implantação de um pequeno chip em vários computadores por todo o mundo.

Os reflexos desse esquema “silencioso” de obter informações privilegiadas afetou até mesmo o setor de aviação dos EUA, com o vazamento de informações de várias empresas do país, algumas até sigilosas.

Mas esse caso foi diferente, e envolveu um funcionário de uma grande empresa aeroespacial dos EUA. De acordo com as investigações, essa pessoa apresentou um projeto protegido por patentes, para um espião chinês, durante uma palestra em uma universidade.

Logo após esse funcionário enviou vários arquivos da GE para esse espião Chinês, que estava solicitando critérios de projeto para as pás do fan frontal de material composto, das blades do primeiro estágio dos motores e da carcaça que envolve o fan frontal, também construída em material composto, em uma complexa estrutura do tipo honeycomb.

Motor CFM Leap-1A e sua carenagem em material composto.

Documentos divulgados no dia 10 de outubro descreve que a China buscou informações técnicas do setor aeroespacial, principalmente aquelas relacionadas à fabricação de motores e os materiais compostos usados em motores de nova geração. Aqui vale ressaltar que cada motor tem uma composição diferente, na sua “mistura” para formar um material composto, e essa propriedade de desenvolvimento é protegida com várias patentes, dificultando que outra empresa descubra a tecnologia.

O governo ainda ressalta que a GE Aviation estava entre as empresas ligadas a esse funcionário, que já foi preso, e ao espião chinês, conhecido até então como Yanjun Xu. Vários arquivos foram compartilhados diretamente com pessoas da China.

O suposto espião, Yanjun Xu, procurou obter informações convencendo engenheiros e outros especialistas aeroespaciais a compartilhar informações da empresa sob o disfarce de uma “troca” de informações e apresentações em universidades da Europa. Ele foi extraditado da Bélgica para os EUA no dia 09 de outubro, onde foi preso pelos norte-americanos.

De acordo com os documentos, Yanjun Xu é vice-diretor de uma divisão do Ministério de Segurança do Estado da China. Ele participou do esquema junto com outra pessoa, provavelmente um vice-diretor da Universidade de Nanjing de Aeronáutica e Astronáutica (NUAA).

Lockheed Martin F-22 Raptor / Foto: André Magalhães-Aeroflap

O governo dos EUA diz que o Ministério da Indústria e Tecnologia da Informação do governo chinês opera a NUAA. Os envolvidos trabalharam para atingir diretamente os especialistas de cada área de interesse das empresas a qual eram visadas, principalmente pela tecnologia desenvolvida.

A tecnologia visada pelos chineses, e buscada através de funcionários da GE, são aplicadas nos motores GE90, GEnx, GE9X e CFM Leap-1. Outras empresas do setor comercial e militar também foram sondadas por Yanjun Xu, buscando tecnologias de construção utilizando material composto, como na formulação das asas de aeronaves militares.

 

Via – FlightGlobal