Foto - FAB

O Esquadrão Condor (Primeiro Esquadrão do Segundo Grupo de Transporte), localizado no Rio de Janeiro (RJ), foi acionado nesta sexta-feira (24/08) para fazer o transporte de um coração entre as cidades de Goiânia (GO), onde estava o doador, e Brasília (DF), onde o receptor aguardava pelo órgão.

Para realizar a missão, a aeronave buscou a equipe médica na capital federal e retornou com o coração, pousando por volta de 20h30. Quando o avião da Força Aérea Brasileira (FAB) chegou à Ala 1, em Brasília, um helicóptero já aguardava para levar o órgão e a equipe médica até o receptor.

Um dos pilotos envolvidos no transporte, que foi realizado por uma aeronave C-99, explica que a rapidez é um ponto chave desse tipo de missão. A tripulação fica pronta para decolar no instante em que são embarcados o órgão e a equipe médica e que há prioridade no controle de tráfego aéreo para pousos e decolagens.

Foto – FAB

 

“Transportar um órgão para salvar uma vida é uma satisfação profissional muito grande. É uma das missões mais motivantes que nós cumprimos, independente da hora, nossas tripulações estão prontas para apoiar, sempre que for necessário. Não tem preço. Eu, como comandante da aeronave, sinto orgulho de ajudar, de contribuir, de saber que uma vida está sendo salva. Mais um coração batendo no nosso Brasil”, disse o Tenente Aviador Luã Freitas Chaves.

O coração está entre os órgãos vitais com menor tempo de isquemia – ou seja, o período em que ele “sobrevive” fora do corpo. São apenas quatro horas entre a coleta e o transplante.

 

Via – Força Aérea Brasileira