Ch-53K lhd
CH-53K King Stallion - Foto Us Navy

O esquadrão de helicópteros pesados HMH-461 Ironhorse se tornou na segunda-feira (24) a primeira unidade operacional a receber o novo CH-53K King Stallion no Corpo de Fuzileiros Navais dos EUA (USMC). 

O esquadrão, com sede na Estação Aérea do USMC de New River, realizou nesta semana uma cerimônia oficial, marcando a transição da unidade de CH-53E Super Stallion para o CH-53K, maior, mais potente e capaz que seu antecessor. 

“Hoje nosso Corpo de Fuzileiros Navais ficou um pouco mais forte”, disse o Major-General Michael Cederholm, comandante da 2ª Ala de Aeronaves de Fuzileiros Navais (2nd MAW), em um comunicado à imprensa.

Continua depois do anúncio
CH-53K JLTV
CH-53K içando um blindado JLTV. Foto: NAVAIR.

Bill Falk, diretor do programa CH-53K da Sikorsky, disse que a frota de helicópteros atingiu mais um passo na história da empresa no trabalho com o Corpo de Fuzileiros Navais.

“Embora triste por ver o início da eliminação do venerável Super Stallion, a Sikorsky está emocionada que o Corpo de Fuzileiros Navais está introduzindo o helicóptero de carga pesada CH-53K King Stallion na frota e está se aproximando da capacidade operacional inicial (IOC) e primeira implantação”, disse Falk ao Marine Corps Times em um comunicado por e-mail.

O CH-53K King Stallion pode transportar 12, 2 toneladas internamente ou 16,3 toneladas de carga externa. O CH-53K também tem com 63% menos peças que o CH-53E, facilitando a manutenção em condições austeras. Em setembro de 2021, o novo helicóptero cumpriu sua primeira missão real, sendo usado para resgatar outro helicóptero acidentado em uma montanha. 
 
Apesar da boa notícia, o CH-53K passou por problemas antes de chegar à frota. A aeronave foi originalmente encomendada pelos Fuzileiros em 2008, com expectativas de que entrasse em serviço em 2019. Mas em 2018, depois de testar um dos primeiros CH-53K, o USMC encontrou mais de 100 problemas técnicos que causaram um atraso de vários anos no programa.
 
CH-53K- Foto: Lockheed Martin
Dois anos depois, a Sikorsky disse que o programa estava prosseguindo normalmente, afirmando que havia resolvido 118 dos 126 problemas técnicos da aeronave. Mesmo assim, o atraso fez com que o os custos disparassem.
 
Segundo o Major Jay Hernandez, porta-voz dos Fuzileiros, o custo de aquisição de um King Stallion é de pouco menos que US$ 91,6 milhões por aeronave, mais caro que o caça F-35 Lightning II, cujo custo atual é de US$ 82 milhões e deve cair para US$ 77,9 milhões neste ano. 
 

O objetivo é eventualmente reduzir esse custo para US$ 87 milhões por aeronave – o preço que os Fuzileiros esperavam pagar em 2017. Mas, apesar do alto custo, o USMC está feliz em finalmente colocar seu novo helicóptero na frota e, eventualmente, começar a colocá-lo em funcionamento. Recentemente, Israel também assinou a compra de 12 novos CH-53K.

Continua depois do anúncio

“O 2º MAW poderá mover mais tropas e equipamentos, em altitudes mais altas, velocidades mais rápidas e em ambientes mais austeros do que nunca”, disse Cederholm.