EDA alinhado e promtos para o início da apresentação

No decorrer dos últimos anos, com a ascensão e evolução dos smartphones e tablets, cada vez mais as pessoas utilizam aplicativos para facilitar o seu dia-a-dia, desde pagar uma conta até estimar o tempo de viagem com base no trajeto e no trânsito. E na aviação não é diferente: com layouts cada vez mais intuitivos e de fácil uso, a cada ano surgem aplicativos no mercado com mais funcionalidades para a atividade aeronáutica, capazes de facilitar desde o planejamento de uma viagem até as próprias tarefas durante o voo em cruzeiro.

As aeronaves A-29 Super Tucano possuem um sistema avançado de navegação aérea, com equipamentos GPS e inercial integrados. Tal sistema é utilizado pelos pilotos como forma primária de navegação. Mas, como forma de auxiliar o planejamento e complementar as informações em voo, a Esquadrilha da Fumaça passou a adotar o aplicativo eWAC como EFIS (Electronic Flight Information System) por possuir várias funcionalidades consideradas essenciais para a atividade do Esquadrão.

Foto – Esquadrilha da Fumaça/Divulgação

Todas as demonstrações da Fumaça são puramente visuais, ou seja, não há auxílio de computadores ou instrumentos na realização das manobras. Mas, para chegar até a cidade onde ocorrerá a demonstração, acontece o deslocamento de toda a equipe até o local. É nesse momento que o aplicativo é utilizado: para auxiliar na navegação até o destino. Semelhante a um aplicativo Waze e Google Maps, por meio do eWAC os pilotos obtêm informações precisas como distâncias até pontos determinados no mapa e velocidade em relação ao solo. Têm, também, informações de aeródromos e coordenadas para voos por instrumento e visual.

O aplicativo baseia-se na cartografia aeronáutica (World Aeronautical Chart – WAC). Tais cartas são desenvolvidas, no Brasil, pelo Instituto de Cartografia Aeronáutica (ICA), que desenvolve dois importantes tipos de cartas: a para voos com referências visuais (VFR) e para voos com o auxílio de instrumentos (IFR). A VFR assemelha-se a um mapa topográfico, com especificidades para o chamado “voo visual”. A carta IFR, por sua vez, é reeditada periodicamente devido às atualizações constantes, contendo informações aeronáuticas como frequências para comunicações e navegação, obstáculos artificiais, aerovias, classificação dos espaços aéreos, etc.

Manobra espelhão realizda por seis aeronaves do EDA

De acordo com o Capitão Rafael Grothe, um dos pilotos da Esquadrilha da Fumaça, o uso do aplicativo se faz muito útil aos pilotos, pois aumenta a consciência situacional e auxilia a navegação aérea ao situá-lo dentro de um mapa. “Como a Esquadrilha da Fumaça realiza viagens constantemente e para locais diversos, por vezes ainda não conhecidos pelos pilotos, o eWAC ajuda complementando as informações fornecidas pelo sistema de navegação do A-29, graças ao layout intuitivo e pela facilidade com que conseguimos obter informações essenciais durante o voo”, afirma o Capitão, que voa na posição número 2 do Esquadrão.

Fonte: EDA / Fotos: EDA