Capitão Vitor Kawka no cockpit do Super Tucano. Foto: EDA Divulgação.

No início de junho, os dois novos pilotos do Esquadrão de Demonstração Aérea, a popular Esquadrilha da Fumaça, começaram sua formação como pilotos de demonstração. Nos dias 07 e 08 de junho, o Capitão Vitor Kawka e o Tenente Bezerra seguiram para Campo Grande (MS) para realizar as missões de simulador no 3º/3º GAV, Esquadrão Flecha, unidade da Força Aérea Brasileira que também opera aeronaves A-29 Super Tucano. 

“Essa é uma fase importante do curso, onde os pilotos adquirem os conhecimentos fundamentais sobre a operação do avião antes de iniciar a instrução em voo”, comenta o Capitão Reis, que acompanhou os novos integrantes durante as missões no simulador.

Capitão Vitor Kawka no simulador do A-29 Super Tucano em Campo Grande (MS). Foto: EDA/Divulgação.

Finalmente, no dia 14 de junho, os pilotos realizaram seu primeiro voo a bordo de uma aeronave da Esquadrilha da Fumaça. Durante essa, que é a fase mais extensa do curso, o Capitão Vitor Kawka e o Tenente Bezerra irão aprender e sedimentar importantes conceitos sobre o voo acrobático à baixa altura e o voo invertido, além das famosas manobras e acrobacias, tão conhecidas pelo público.

De acordo com o Capitão Vitor Kawka, o curso “traz novos aprendizados em termos de pilotagem, uma vez que o perfil de voo é totalmente diferente do que se costuma realizar em outros esquadrões da Força Aérea”.

Tenente Bezerra no cockpit do A-29. Foto: EDA/Divulgação.

A previsão é que os novos pilotos concluam o curso ainda este ano. Suas estreias estão condicionadas à retomada da agenda de demonstrações da Esquadrilha da Fumaça, que por enquanto não tem data para retorno. Até lá, eles devem continuar realizando voos de treinamento com a equipe, aperfeiçoando os conhecimentos adquiridos no curso e aguardando o momento da sua primeira demonstração.

O EDA explica que para se tornar um piloto da Esquadrilha da Fumaça, é necessário percorrer uma extensa trajetória dentro da Força Aérea Brasileira até atingir a experiência requerida e se candidatar a uma vaga. Ainda assim, devido às peculiaridades da atividade do Esquadrão, poucas vagas são abertas anualmente, cabendo aos atuais integrantes a escolha dos novos pilotos que irão compor a equipe no ano seguinte.

EDA/Divulgação.

Após selecionado, o novo piloto é submetido a uma formação específica antes de realizar a sua primeira demonstração em voo, o chamado curso de Piloto de Demonstração Aérea (PODA).

Composto por aulas teóricas, simulador de voo e uma extensa carga de instrução em voo com aproximadamente 80 missões, o curso torna os pilotos recém-chegados aptos a realizarem o voo de demonstração com as 7 aeronaves A-29 Super Tucano, juntamente com o resto da equipe.

Via Esquadrão de Demonstração Aérea. 

DEIXE UMA RESPOSTA