GOL

A campanha nacional de vacinação contra a Covid-19 tem, felizmente, reduzido o número de óbitos em decorrência da doença. Com o aumento na quantidade de pessoas imunizadas, os Estados brasileiros têm flexibilizado as regras de quarentena e retomado, gradualmente, as atividades turísticas.

Uma breve análise dos decretos estaduais expedidos nos últimos meses referentes às medidas restritivas permite observar essa tendência de flexibilização. No Estado de São Paulo, por exemplo, o Governo já liberou a volta do público aos estádios de futebol.

Outros Estados têm adotado medidas semelhantes. Jogos de futebol com torcida já ocorrerem, inclusive, no Rio de Janeiro, Brasília, Minas Gerais, Ceará, Rio Grande do Sul, Paraná e em outras unidades da federação.

Além disso, é possível notar que os decretos estaduais mais recentes liberam, sob um conjunto de regras sanitárias, o funcionamento do comércio, de bares e restaurantes, hotéis, teatros, cinemas, atividades culturais, lazer, entre outras. Até a realização de grandes eventos em 2022, como o Carnaval, já estão sendo discutidos pelas autoridades municipais.

Na cidade do Rio de Janeiro, a venda de ingressos para assistir aos desfiles já teve início. 

 

Crescimento do turismo em 2021

O cenário é bem diferente do vivido durante o ano de 2020 e os primeiros meses de 2021. Para o setor de turismo, um dos mais afetados pela crise sanitária, o avanço da vacinação tem gerado mais flexibilização e incentivo por parte do poder público. Já na perspectiva dos viajantes, a imunização tem provocado uma maior procura por passagens aéreas e roteiros turísticos nacionais. 

Segundo dados da Associação Brasileira das Empresas Aéreas (ABEAR), a malha aérea doméstica registrou, em setembro, uma média diária de 1,7 mil partidas, o que representa 75% da oferta de voos que as companhias brasileiras operavam no início de março de 2020, antes do agravamento da pandemia no Brasil.

De acordo com a entidade, foi o quinto mês consecutivo de alta nesse indicador. “Esse resultado mostra a resiliência das companhias aéreas nacionais. Importante lembrar que a continuidade desse desempenho está vinculada ao ritmo de vacinação e ao não agravamento da pandemia”, pontua o presidente da ABEAR, Eduardo Sanovicz, em comunicado divulgado no site da associação.

Em entrevista à Agência Brasil, o ministro do Turismo, Gilson Machado, informou que os voos domésticos já recuperaram 80% dos níveis de passageiros em relação ao momento anterior à pandemia. 

De acordo com ele, aliás, as reservas nos hotéis para o final do ano já estão praticamente esgotadas no Nordeste do País, especialmente nos destinos de ecoturismo, além do Natal Luz de Gramado.

Dados do IPC Maps, empresa que trabalha com geoprocessamento e dados de potencial de consumo no País, mostram que os brasileiros tendem a gastar mais com viagens até o fim do ano, em comparação com 2020. A informação foi repercutida pelo Jornal O Estado de São Paulo.

Uma pesquisa realizada pela MaxMilhas, travel tech que oferece passagens aéreas com desconto, corrobora com essa tendência. Os dados indicam que 86% dos brasileiros já estão viajando ou ansiosos para a próxima viagem. Para 74% dos entrevistados, a prioridade no primeiro momento serão as viagens nacionais.

E esse movimento não tem sido sinalizado apenas pelos consumidores. Segundo um levantamento realizado pelo Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas, em parceria com a Associação Brasileira de Agências de Viagens (Abav), seis em cada dez operadoras de turismo esperam uma alta no faturamento até dezembro de 2021. 

O cenário de maior flexibilização nos Estados brasileiros também tem gerado impacto no mercado de trabalho. De acordo com o Ministério do Turismo, o avanço da vacinação, a alta nos índices de ocupação hoteleira, na aviação civil e nas demais atividades turísticas geraram um crescimento de 25% nas vagas formais ocupadas em julho, em relação ao mês anterior.

 

Via: HedgeHog

DEIXE UMA RESPOSTA