Su-35 Rússia Sukhoi
Caças Su-35S Flanker-E da Força Aérea Russa. Foto: Rosoboronexport.

O Sukhoi Su-35 Flanker é uma das aeronaves mais avançadas de combate da Rússia. Capaz de atuar em guerra eletrônica, o Su-35 pode realizar ataques ar-ar e ar-terra, dependendo do tipo de armamento.

Além disso, a capacidade de manobra do caça impressiona, apesar de ser pouco utilizada neste tipo de missão na Ucrânia.

E no início de abril a Ucrânia conseguiu abater uma dessas aeronaves nas proximidades de Izium, no leste da Ucrânia, uma cidade localizada perto de Kharkiv. O caça ficou parcialmente destruído, e o piloto ejetou, sobreviveu e foi capturado por forças ucranianas.

O grande problema para a Rússia agora é que os destroços foram conduzidos para a análise dos EUA e do Reino Unido, de acordo com uma publicação do site Express.

Um desses sistemas capturados é uma mira de longo alcance do avião de combate mais sofisticado da Rússia está sendo examinado por cientistas britânicos e americanos. O componente foi coletado dos destroços, e transportados para o Laboratório de Defesa, Ciência e Tecnologia do Governo (DSTL) em Porton Down, em Wiltshire.

Dois especialistas da Força Aérea dos EUA passaram dez dias examinando os sistemas, que agora está nas mãos dos norte-americanos em Nevada, EUA, para mais exames forenses.

Uma análise dos destroços apontam que o avião estava em uma condição de missão SEAD (Supressão de Defesas Aéreas Inimigas), voltada para guerra eletrônica e destruição localizada de alvos.

Justin Bronk, especialista em poder aéreo e tecnologia do think tank RUSI, disse: “Qualquer oportunidade potencial para examinar os componentes de radar ou pods de guerra eletrônica no SU-35 abatido seria valiosa, pois, mesmo danificados, esses componentes podem confirmar as avaliações de inteligência do ocidente sobre como eles funcionam.”

Caça Sukhoi Su35. Foto: OTAN

O Su-35S é a variante mais moderna da chamada “Família Flanker”, que teve início com o Sukhoi Su-27 ainda na década de 1970. É um caça de 4.5 Geração, equipado com um par de motores turbofan Saturn AL-41F1S com bocais móveis (empuxo vetorado), tornando-o super manobrável.

O caça também possui 12 pontos duros para carregar diversos armamentos como mísseis ar-ar, ar-solo e antirradar, bombas guiadas, foguetes e outros, além de portar um canhão GSh-30-1 de 30mm, com 150 munições.

Seus dois principais sensores são o radar de varredura eletrônica passiva (PESA) IRBIS-E e o IRST (Infrared Search and Track) OLS-35, este último o alvo da análise dos militares norte-americanos.