O Primeiro Esquadrão do Décimo Primeiro Grupo de Aviação  (1º/11º GAV) – Esquadrão Gavião, sediado na Ala 10, em Parnamirim (RN), realizou, nessa segunda-feira (18), mais uma etapa na missão de especializar os futuros Oficiais Aviadores da Força Aérea Brasileira (FAB) em helicópteros, com os primeiros voos solo dos Aspirantes a Oficial Eric Costa Braga  e Samuel Barbosa de Castro na aeronave H-50 Esquilo. O voo solo, para os estagiários do Curso de Especialização Operacional na Aviação de Asas Rotativas (CEO-AR), revela-se como um marco ímpar na carreira do piloto de helicóptero, pois muitas vezes, este é o único voo realizado sem o compartilhamento da nacele com outro tripulante.

Após quatro semanas de ensinamentos das técnicas de pilotagem, exercícios básicos de aproximações, pousos pontuais e corridos, reforçados com treinamentos de emergências básicas – pane hidráulica, perdas de potência e autorrotação-, foi possível a consolidação do aprendizado pelos estagiários que, até então, não haviam tido contato com helicópteros durante a formação na Academia da Força Aérea (AFA), em Pirassununga (SP).

Para o Aspirante a Oficial Eric, o sentimento de realizar o primeiro voo solo do CEOAR 2020 é quase que indescritível. “Significa muito mais do que estar sozinho na nacele do helicóptero. É a consolidação de todo o trabalho e dedicação dos instrutores de voo, militares responsáveis pela manutenção das aeronaves, bem como o apoio dos familiares e companheiros de turma, tornando-se em um sentimento inexplicável”, afirmou.

Já para o Aspirante a Oficial Castro, a etapa alcançada remeteu ao sentimento de concretização de um sonho, aguardado ao longo dos sete anos vividos nas escolas de formação da FAB. “Realizar o voo solo na aeronave H-50 é a concretização de um sonho. Agradeço a oportunidade de pertencer ao grupo seleto de pilotos de helicópteros da Força Aérea”, destacou o Aspirante.

Recepção dos Estagiários

No retorno da missão, os Aspirantes Eric e Castro foram recebidos pelo Comandante da Ala 10, Brigadeiro do Ar Marcelo Fornasiari Rivero, e oriundo da Aviação de Asas Rotativas. O Oficial General  destacou a ocasião que marca o domínio do voo pairado, possível apenas em voos de helicópteros. “É um momento único que nós não esquecemos. A aviação de Asas Rotativas é marcada principalmente pelo trabalho em equipe. O voo solo reflete o primeiro passo no ganho de experiência para liderar as tripulações de helicóptero de alto desempenho que a Força Aérea possui”, disse o Comandante da Ala.

Estiveram presentes também o Chefe do Estado-Maior da Ala 10, Coronel Aviador André Fernando Albuquerque Bergo, e o Comandante do Esquadrão Gavião, Tenente-Coronel Aviador Daniel Duarte Moreira Peixoto. “Neste momento, o estagiário recebe o status de piloto de asas rotativas, consolidando conhecimentos, habilidades e atitudes totalmente diferentes. O dia de hoje é fruto de muita dedicação não só dos Aspirantes, mas de todo o Esquadrão Gavião, Ala 10 e Força Aérea Brasileira, sem os quais não seria possível”, completou o Comandante do Esquadrão.


Fonte: FAB

Fotos: Sargento Carlos Eduardo

DEIXE UMA RESPOSTA