(Reuters) – Um ex-engenheiro e um empresário chinês foram acusados de espionagem econômica e de conspirar para roubar segredos comerciais da General Electric para beneficiar a China, de acordo com um indiciamento revelado pelo Departamento de Justiça dos Estados Unidos nesta terça-feira.

O indiciamento contra o ex-engenheiro da GE Xiaoqing Zheng, e contra o empresário chinês Zhaoxi Zhang acontece depois que Zheng foi acusado em agosto em conexão com o suposto roubo.

Essa é a primeira vez em que o governo norte-americano diz formalmente que o esquema foi conduzido para beneficiar a China e que o governo chinês forneceu “apoio financeiro e outros”.

De acordo com o indiciamento, Zheng roubou dados sobre a tecnologia de motores a reação da GE ao criptografar os arquivos em seu computador e incorporá-los secretamente a uma foto de um pôr do sol, antes de enviá-la para seu email pessoal.

Os dois supostamente usaram as informações roubadas para promover seus próprios interesses comerciais, em duas empresas de pesquisa e desenvolvimento de turbinas, a Liaoning Tianyi Aviation Technology Co Ltd e a Nanjing Tianyi Avi Tech Co Ltd.

Zheng, de 56 anos, se declarou inocente nesta terça-feira e pôde permanecer em liberdade mediante pagamento de fiança. Seu advogado Kevin Luibrand se recusou a comentar.

As acusações são as mais recentes em uma série de casos apresentados pelo Departamento de Justiça dos EUA desde o ano passado, como parte de uma ação mais ampla do governo Trump, que tem prometido combater o roubo de segredos corporativos, fraudes através de roubo de propriedade intelectual, subsídios ilegais e o uso de regras que atrapalham empresas norte-americanas que querem vender seus bens na China.