Caça F-35A turco- Foto: Lockheed Martin

Os Estados Unidos elevaram nesta sexta-feira os riscos do acordo de Ancara contra a aquisição de um sistema de defesa aérea russo, traçando um plano para remover o aliado da Otan do programa F-35 que inclui Parando imediatamente qualquer novo treinamento para pilotos turcos na aeronave avançada.

O secretário interino da Defesa dos Estados Unidos, Patrick Shanahan, enviou uma carta ao seu homólogo turco, vista pela Reuters na sexta-feira, que delineou as medidas para remover a Turquia do programa, a menos que a Turquia mude de rumo.

Os EUA já haviam ameaçado vetar a venda do F-35A para a Turquia em outras ocasiões. Incluisve pilotos turcos já estavam nos EUA fazendo o curso do caça stealth, e tanto os EUA quanto a Turquia já haviam apresentado ao mundo o primeiro F-35A turco, que está retido nos EUA.

F-35A Lightning II da USAF

A Turquia pode sim ter os caças F-35 e continuar no programa, dese que não comprem o sistema de míssil russo e isso é falado pelos EUA desde que Ancara demostrou interesse no sistema S-400, ou seja ainda há chance dos turcos terem um caça stealth.

A Reuters informou na quinta-feira a decisão de parar de aceitar mais pilotos turcos para treinamento nos Estados Unidos, em um dos sinais mais concretos de que a disputa entre Washington e Ancara está chegando ao limite.

Os Estados Unidos afirmam que a aquisição do sistema russo de defesa aérea S-400 pela Turquia representa uma ameaça aos caças furtivos Lockheed Martin Corp F-35, que a Turquia também pretende comprar. Os Estados Unidos dizem que a Turquia não pode ter os dois.

A carta de Shanahan declara explicitamente que não haverá “novo treinamento para o F-35”. Diz que havia 34 estudantes programados para o treinamento do F-35 ainda este ano.


“Este treinamento não ocorrerá porque estamos suspendendo a Turquia do programa F-35; já não há mais requisitos para obter proficiência nos sistemas ”, de acordo com um anexo à carta que se intitula“ Unwinding Turkey’s Participation in the F-35 Program ”.

O pessoal turco já nos Estados Unidos vai ver seu treinamento no F-35 descontinuado no final de julho.

Em sua carta, Shanahan também advertiu Ancara de que seu acordo com Moscou corria o risco de minar seus laços com a OTAN, prejudicando a economia turca e criando uma dependência excessiva da Rússia.

F-35A Holandês- Foto/Divulgação: Lockheed Martin

“Você ainda tem a opção de mudar de curso na S-400”, escreveu Shanahan.

A lira turca caiu até 1,5% na sexta-feira, antes de recuperar algumas perdas. A moeda perdeu cerca de 10% de seu valor em relação ao dólar este ano, em parte devido ao desgaste dos laços diplomáticos e ao risco de sanções dos EUA se a Turquia aceitar a entrega das S-400.

A Turquia é um dos principais parceiros do programa F-35 e manifestou interesse em comprar 100 dos caças, o que teria um valor total de US $ 9 bilhões a preços correntes.

As empresas turcas produzem cerca de 937 partes do F-35, principalmente para o trem de pouso e a fuselagem central da aeronave, segundo o Pentágono. Os Estados Unidos agora planejam transferir essa produção para outro lugar, acabando com o papel manufatureiro da Turquia no início do ano que vem.

F-35I Adir da IAF. Foto: IAF

O Pentágono acredita que pode minimizar o impacto no programa mais amplo se a Turquia respeitar o cronograma dos EUA.

“O que estamos fazendo é trabalhar para fazer uma pausa muito disciplinada e graciosa”, disse Ellen Lord, subsecretária de Defesa, a repórteres no Pentágono.

A Turquia pode sim ter os caças F-35 e continuar no programa, dese que não comprem o sistema de míssil russo e isso é falado pelos EUA desde que Ancara demostrou interesse no sistema S-400, ou seja ainda há chance dos turcos terem um caça stealth.

O futuro caça Turco de 5º geração:

Concepção artística do TF-X- Foto: TAI

A Turquia está com fortes planos de produzir no país um caça de 5º geração e este plano já está avançado tanto que no Paris Airshow 2019 a Turquia irá apresentar o mock-up do primeiro caça de produção nacional turca, o TF-X, anunciou o diretor geral da Turkish Aerospace Industries (TAI), Temel Kotil, na 14ª Feira Internacional de Defesa (IDEF).

“Este é o nosso maior projeto. Quando terminamos isso, a Turquia pode dizer tecnologicamente que não é diferente dos EUA, Rússia e China”, ressaltou Kotil

Trata-se de um projeto de uma aeronave de 5ª geração de fabricação turca. Esse novo caça terá como objetivo a substituição da frota de caças F-16, que devem ser desativados até 2030.

Para que a Turquia pudesse concretizar esse projeto, assinou um memorando de entendimento com o Reino Unido em 2018.

Concepção artística do TF-X- Foto: TAI

Os investimentos devem chegar a TL 4,8 bilhões e se espera que a produção da aeronave empregue 3200 pessoas, com uma contribuição indireta de emprego estimada em cerca de 11200.

Quando enfim estiver pronto o novo caça da Turquia, o país entrará para uma lista seleta de nações que produzem aeronaves de 5º geração, como os EUA, Rússia e a China.

O TF-X contará com tecnologia stealth, será usado papel ar-ar, considerando também os papéis ar-superfície, terá toda uma gama tecnologia de radar, sensores e armamentos e será uma aeronave bimotora.

O projeto deste caça seria de certa forma uma resposta aos EUA, que querem e já bloquearam a venda do caça de 5ª geração F-35A para a Turquia, isso pelo interesse dos turcos em adquirir o Sistema de Defesa Aérea russo, o S-400.

Fonte de apoio: Reuters / Edição com Arquivos da Aeroflap