EUA não estão resgatando aéreas e Boeing não usará dinheiro federal, diz secretário do Tesouro

(Reuters) – O secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steve Mnuchin, disse nesta sexta-feira que o projeto de estímulo econômico contra o coronavírus que deverá ser aprovado em breve na Câmara dos Deputados não é um resgate para companhias aéreas e que os contribuintes precisarão ser compensados pelo alívio dado às empresas prejudicadas pela pandemia global.

Ao mesmo tempo, Mnuchin disse em entrevista à Fox Business que a fabricante de aviões Boeing não tem a intenção de usar dinheiro federal.

As companhias aéreas tinham solicitado uma ajuda de pelo menos US$ 50 bilhões ao governo norte-americano. Mas um pacote de ajuda governamental atualmente em andamento no Congresso dos EUA exige empréstimos e suporte de folha de pagamento para companhias aéreas e trabalhadores da indústria da aviação no total de US$ 78 bilhões.

Além de empréstimos, o Senado procura fornecer “apoio à folha de pagamento” no valor de outros US$ 29 bilhões para companhias aéreas de passageiros e carga e US$ 3 bilhões para empresas contratadas, como manipuladores de bagagem e trabalhadores de catering.

A IATA agora espera que o surto de coronavírus reduza as receitas das companhias aéreas de todo o mundo que transportam passageiros em US$ 252 bilhões neste ano, mais do que o dobro da estimativa anterior de pior cenário. Boa parte dessa recessão está nos EUA e na Europa.

 

DEIXE UMA RESPOSTA