Estados Unidos Defesa EUA OTAN
Foto: Suboficial da Marinha 3ª Classe Jesse Schwab

O Departamento de Defesa dos Estados Unidos solicitou hoje (22), através de uma nota oficial emitida por uma funcionária, uma aprovação rápida do pedido de entrada da Finlândia e Suécia na OTAN.

“O Departamento de Defesa avalia que a Finlândia e a Suécia estão prontas para se tornarem membros da Otan”, disse Celeste A. Wallander, secretária assistente de defesa para assuntos de segurança internacional, em uma audiência do Comitê de Relações Exteriores do Senado hoje.

“Tanto a Finlândia quanto a Suécia estão prontas para contribuir para a defesa da aliança agora“, disse Wallander.

A Finlândia mantém o recrutamento geral e tem uma reserva bem-tripulada e treinada que pode ser convocada rapidamente, o que é imperativo, já que a Finlândia compartilha uma longa fronteira com a Rússia. 

“A localização da Finlândia no Mar Báltico, a experiência diplomática com a Rússia e as capacidades avançadas fazem dela um trunfo para a aliança“, disse ela. “A Finlândia gasta mais de 2% de seu [produto interno bruto] em defesa e possui capacidades e conhecimentos militares únicos, especialmente operando no ambiente ártico”

“A adesão da Suécia à Otan traria um exército de primeira linha e em rápido crescimento com uma política externa de princípios que defende ardentemente a democracia e os direitos humanos”, disse Wallander.  

A Suécia também mantém uma indústria de defesa de classe mundial. A “experiência militar da Suécia no Ártico e nos ambientes submarinos aumentaria substancialmente as capacidades da aliança”, disse ela.  

As duas nações bálticas já têm relações bilaterais de defesa estreitas com os Estados Unidos, disse ela. As duas nações também têm relações de trabalho estreitas e interoperabilidade militar com os militares da OTAN. 

O fato de a Suécia e a Finlândia terem feito uma petição para aderir à aliança defensiva é um sinal de quanto o ambiente de segurança mudou com a invasão não provocada da Ucrânia pela Rússia. Ambas as nações são parceiras da OTAN há décadas, mas realmente não viram necessidade de se juntar à OTAN. 

A Suécia já tem interoperabilidade com as forças da OTAN. O reino tornou-se membro da Parceria para a Paz da OTAN em 1994 e um parceiro de oportunidades aprimoradas da OTAN em 2014.  

Caso a Suécia e a Finlândia façam parte da OTAN, o Mar Báltico será visto como um território inimigo para a Rússia, dificultando as operações dos seus portos que se localizam nas proximidades da região. 

Por este motivo, de retaliação da Rússia, a Turquia declarou que “não vê com bons olhos a adesão da Finlândia e Suécia na aliança”. O país pode decidir barrar o acordo de entrada dessas nações na OTAN em uma reunião da cúpula.

Anteriormente a porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, respondeu dizendo que haverá retaliações se as duas nações se juntarem à Aliança liderada por Washington. Apesar disso, a Rússia não fez nenhuma movimentação militar após a Finlândia solicitar a sua entrada na OTAN.

A pressão norte-americana faz parte das negociações para que a Turquia aceite a entrada desses países na OTAN.

 

Via: DoD