(Reuters) Uma ex-subsidiária da Airbus foi condenada ontem(28) a pagar US$ 42 milhões após confirmar que obteve contratos fraudulentos. A GPT Special Project Management firmou contratos de prestação de serviços de comunicação militar com a Guarda Nacional da Arábia Saudita. 

A empresa GPT Special Project Management que foi uma subsidiaria da Airbus, obteve os contratos entre 2008 e 2010. A antes de encerrar suas atividades em 2020, a empresa admitiu publicamente para a Southwark Crown Court de Londres que foi culpada dos atos de corrupção nos contratos investigados. 

Todo o processo durou cerca de nove anos e foi executado pelo Escritório de Fraudes Graves do Reino Unido. Após a sentença, o escritório comemorou e valorizou o desfecho do processo contra a GPT.

Além da empresa, o processo ainda acusa outras três pessoas que não foram identificadas mas já há um julgamento marcado para o próximo ano. O processo enfrentado pela antiga subsidiaria da Airbus não tem nenhuma ligação com o processo de suborno e corrupção nas encomendas que a fabricante enfrenta desde o inicio de 2020.