F-15C disparando um míssil AIM-120 AMRAAM. Foto: Tech. Sgt. John Hoffmann/USAF.

Um caça F-15C Eagle da Força Aérea Americana (USAF) registrou um “abate” a uma distância recorde durante um teste com um míssil AIM-120 AMRAAM realizado em março desse ano. Todavia, a USAF não informou a distância exata em que o abate ocorreu.

O teste envolveu um caça do 28º Esquadrão de Teste e Avaliação, trabalhando em parceria com o 83º Esquadrão de Armas de Caça, na Base Aérea de Tyndall (Flórida), durante o Programa de Avaliação de Sistemas de Armas – Leste (WSEP East), onde o míssil foi disparado contra um drone-alvo BQM-167. 

Segundo os sites The Aviationist e The War Zone, os mísseis usados durante o “Combat Archer”, como o exercício também é chamado, não carregam ogivais reais, mas sim instrumentos de telemetria. Os abates são validados avaliando a proximidade do míssil em relação ao alvo durante o ataque. 

O exercício também é um das raras oportunidades que os pilotos de caça tem para disparar um míssil real. Aviões de caça são carregados, normalmente, com mísseis de treinamento/inertes, onde somente os sistemas de guiagem do armamento são reais.

F-15C Eagle disparando um míssil AIM-120 AMRAAM. Foto: USAF.

Mísseis e demais munições são sensíveis e precisam ser armazenados em  paióis especiais, com controle de temperatura, umidade e demais aspectos. Fora desses ambientes, a vida útil desses artefatos cai bastante.

Cabe lembrar que mísseis também não precisam, necessariamente, colidir com o alvo para derrubá-lo, já que os armamentos possuem espoletas de proximidade. O míssil detecta a sua distância com o alvo e explode perto o suficiente para os estilhaços causarem danos graves à aeronave inimiga. 

Acredita-se que a última variante do AMRAAM, o AIM-120D, tenha um alcance superior à 160km, mas USAF também não especificou a variante usada no abate recorde. O míssil ar-ar com o maior alcance já usado pelos EUA era o AIM-54 Phoenix, carregado exclusivamente pelo F-14 Tomcat da Marinha, com um alcance máximo estimado em 190km.

Como aponta o The Aviationist, o abate do F-15C no Campo de Teste e Treinamento de Eglin-Gulf provavelmente superou os números do Phoenix. 

Os F-15C/D Eagle e F-15E Strike Eagle podem levar oito mísseis ar-ar e normalmente são carregados em duas configurações principais: 6×2 (seis AIM-120 AMRAAM e dois AIM-9 Sidewinder) e 4×4 (quatro AMRAAMs e dois Sidewinders), sendo essa última a mais comum. 

As duas últimas e mais modernas variantes do lendário caça, F-15QA e F-15EX Eagle II podem carregar 22 mísseis, um salto enorme no payload do avião. A USAF deve adquirir 144 novos Eagle II. 

Cabe lembrar que em março um drone BQM-167 surgiu na beira de uma praia da Flórida.

Drone-alvo BQM-167 sendo lançado. Foto: Bruce Hoffman/USAF.