FAA propõe inspeções e atualizações no software de controle de voo do 737NG

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) pretende exigir que as companhias aéreas inspecionem computadores de controle de voo em mais de 500 aviões da série Boeing 737NG, para lidar com os riscos que envolvem o procedimento de pouso dessas aeronaves.

Uma diretriz lançada no dia 26 de fevereiro estabelece correções para aeronaves com computadores de controle de voo equipados com versões de “software na versão P8.0 e P9.0”.

Os computadores de controle de voo afetados são fabricados pela Rockwell Collins, agora Collins Aerospace.

A Boeing já lançou uma atualização de software para resolver o problema, e o pedido da FAA, se finalizado, daria às companhias aéreas um ano para fazer as atualizações.

“A FAA recebeu relatos de que, durante as aproximações para pouso, o sistema de aterrissagem por instrumentos acoplados ao piloto automático do avião não capturou nem rastreou corretamente a trajetória ideal de descida”, diz a nota da FAA. “Isso fez com que os aviões continuassem descendo [para pouso] abaixo da trajetória ideal sem nenhuma indicação de falha do sistema de piloto automático”.

Essas instâncias ocorreram com o piloto automático ligado, em regime de descida para pouso com V/S superior a -2000 pés por minuto.

“A alta taxa de descida é mantida pelo piloto automático e pode resultar na fuga da trajetória ideal, o que exige que a tripulação corrija o problema manualmente”, diz a FAA.


Essa condição pode ​​resultar em um acidente, se os pilotos não perceberem a má atuação do piloto automático durante um procedimento por instrumentos, sem visibilidade externa adequada, acrescenta a FAA.

A FAA diz que o pedido afetaria 520 aeronaves registradas nos EUA, embora não especifique quantas dessas aeronaves precisariam de atualizações. A Boeing disse à FAA que o custo das atualizações pode ser coberto pelo processo de garantia das aeronaves.

 

DEIXE UMA RESPOSTA