Cockpit do 737 MAX 8. Foto - Boeing/Leo Dejillas

(Reuters) – De acordo com fontes da Reuters, a Administração Federal de Aviação (FAA) dos Estados Unidos planeja testar, no próximo mês, o novo software do Boeing 737 MAX com pilotos que acumulam pouca experiência no 737.

A FAA vai selecionar pilotos com menos de um ano de experiência pilotando o Boeing 737, seja na versão MAX ou NG, para avaliar se um tripulante com pouca experiência de voo consegue manter o controle da aeronave durante a interferência do software.

Como parte de seu próprio processo de testes, a Boeing convidou pilotos de categoria sênior, notavelmente comandantes há anos, para experimentar a correção de software e usar simuladores para executar cenários semelhantes aos que levaram aos dois acidentes em outubro do ano passado e março deste ano.

Apesar disso, a FAA quer observar a reação de pilotos de 737 NG/MAX relativamente inexperientes, como parte do processo de certificação do software do 737 MAX.

Essa avaliação pode resultar em um novo atraso na certificação do software de voo do 737 MAX, e consequentemente na retomada dos voos comerciais com essa aeronave, porém, na visão dos analistas da agência, aumenta o nível de segurança da nova certificação.

A Boeing ainda estima que o 737 MAX retome voos comerciais no 4º trimestre deste ano, estes estão suspensos desde março, quando uma investigação preliminar apontou semelhanças entre os dois acidentes, causando uma paralisação geral de 370 aeronaves, em diversos países.