Pratt & Whitney Airbus A320
Em detalhe, motor da Pratt & Whitney equipando um Airbus A320neo.

A Administração Federal de Aviação dos EUA (FAA) solicitou às companhias aéreas a substituição das pás da turbina de baixa pressão (LPT) dos motores PW1100G, fabricados pela Pratt & Whitney e que equipam aviões da Airbus.

A diretriz de correção deve ser aplicada em alguns motores nos próximos 90 dias, de acordo com a exigência da FAA, e vem em resposta a mais de 40 falhas nas pás dos PW1100Gs, que propulsionam aeronaves da família Airbus A320neo, desde 2017.

Essas falhas provocaram ações regulatórias de outras agências, incluindo a autoridade de aviação civil da Índia.

“Essa condição, se não for tratada, pode resultar em falha das pás do terceiro estágio do LPT, falha de um ou mais motores, perda do controle de empuxo e perda do avião”, afirma a FAA.

A diretriz da FAA serve mais para companhias de todo o planeta, visto que nenhuma companhia norte-americana é afetada pela exigência. O motor é fabricado nos Estados Unidos.

O pedido da FAA exigirá que as companhias aéreas substituam as pás afetadas em alguns motores dentro de 90, 180, 270 ou 360 dias, dependendo do número de série do motor.

“A Pratt & Whitney está trabalhando em coordenação com os clientes de nossas companhias aéreas para incorporar atualizações na turbina de baixa pressão dos motores PW1100G-JM para resolver um problema conhecido”, disse a fabricante do motor à FlightGlobal. “Essas atualizações já são certificadas e incorporadas a todos os novos motores de produção”.

A empresa acrescenta: “Estamos comprometidos em apoiar nossos clientes para garantir uma interrupção mínima durante o retrofit da frota”.

A diretiva da FAA diz que a agência recebeu relatórios de 41 falhas envolvendo as pás do terceiro estágio da turbina de baixa pressão do PW1100G desde 2017.

“Essas falhas parecem ser causadas por danos causados ​​pelo impacto quando detritos passam pelo motor”, diz o documento. “O fabricante determinou a necessidade de substituir qualquer aleta afetada [da turbina de baixa pressão] por … pás feitas de um material diferente, mais resistente a danos por impacto”.

O FAA calcula o custo das substituições de lâminas em US$ 785.000 por motor, custo que será arcado pela Pratt & Whitney.

As autoridades indianas haviam ordenado anteriormente às companhias aéreas do país que garantissem que todos os PW1100Gs em seus A320neos tivessem as turbinas de baixa pressão de terceiro estágio modificadas até o final de janeiro de 2020.

 

Verificação e troca de 196 motores em 13 semanas na Índia

Como forma de não ter suas aeronaves inutilizadas em solo, como está acontecendo com o 737 MAX, a IndiGo terá até o dia 31 de janeiro para substituir 196 motores e 98 aeronaves A320neo da sua frota.

A substituição é para evitar incidentes causados por erros de produção e projeto da própria fabricante dos motores, a Pratt & Whitney. Os novos motores serão uma versão já com correções.

A determinação foi da Diretoria Geral de Aviação Civil da Índia (DGCA), e deve ser cumprida pela companhia aérea.

É possível substituir um par de motores em apenas três dias, incluindo os testes e a devolução da aeronave ao serviço no final. O mais difícil do processo é a PW fornecer todos esses motores no prazo imposto pelo DGCA.

A IndiGo já substituiu vários motores em seus aviões A320neo, mas essa troca precisará ser realizada novamente, visto que os motores entregues pela PW com correções de projeto apresentaram novos defeitos.

DEIXE UMA RESPOSTA