Proposta da nova pintura para o T-27M, como será designado o Tucano Modernizado. Imagem: FAB/Divulgação.

Prosseguindo com a modernização dos turboélices de treinamento T-27 Tucano, a Força Aérea Brasileira apresentou hoje (05) uma nova pintura. A escolha do novo padrão de pintura dos T-27M contou com a participação dos cadetes da Academia da Força Aérea, onde o avião é usado. 

Segundo a FAB, as novas cores apresentam um ar de atualidade, alinhada às alterações realizadas no processo de modernização. O novo design é inédito e utilizará tintas já empregadas pela FAB, como o branco, o laranja e o preto. Agrega-se, ainda, a questão da padronização, pois faz referência aos tons já existentes em outras aeronaves da Força Aérea.

Cockpit do T-27 modernizado. Foto: FAB/Divulgação.

Todo o projeto de modernização da aeronave está sendo conduzido pelos técnicos e especialistas do Parque de Material Aeronáutico de Lagoa Santa (PAMALS). “O PAMALS sente-se honrado com esse desafio. A modernização do T-27 é uma missão grandiosa que vai contribuir sobremaneira com a formação dos futuros pilotos da Força Aérea. A nova pintura veio como um diferencial que vai marcar essa nova fase do projeto T-27”, ressaltou o Diretor do PAMALS, Coronel Aviador Marcelo Reed Sardinha.

No total, 42 aeronaves serão modernizadas até dezembro de 2022. A modernização é uma das fases previstas no ciclo de vida das aeronaves da FAB, conforme legislação específica, e tem por objetivo a introdução ou alteração de características técnicas e logísticas nos Sistemas ou Materiais em uso na Aeronáutica, tanto para atualizá-los quanto para ajustar  seu  desempenho  às  necessidades  específicas  não  existentes  à  época  da  adoção  desses Materiais ou Sistemas.

A proposta da modernização do T-27 surgiu de uma necessidade operacional que identificou pontos importantes para que a aeronave continuasse realizando sua missão com segurança. Assim, foram considerados aspectos como aumento da consciência situacional dos tripulantes, substituição dos equipamentos de navegação e comunicação, e a capacidade de operar em espaço aéreo por meio do sistema global de navegação por satélite – GPS.

FAB/Divulgação.

Foram modernizados o sistema de comunicação e os aviônicos, que passam a operar no conceito glass cockpit, o que possibilita, por exemplo, o voo e aproximações baseados em posição satelital; o voo baseado em performance, ou seja, mais direto e preciso; e o envio e recepção de informações para o controle de tráfego através do Sistema de Vigilância Aérea Automático Dependente por Radiodifusão (ADS-B). Esse sistema é uma tecnologia de vigilância na qual uma aeronave determina sua posição via navegação por satélite e a transmite periodicamente para estações de solo, permitindo que seja rastreada pelo controle do espaço aéreo.

O primeiro T-27 modernizado no PAMA-LS. Foto: FAB/Divulgação.

Em paralelo à modernização das aeronaves, estão sendo desenvolvidos também sistemas de simulação para que esses auxílios à instrução reflitam fielmente a nova configuração, o que irá colaborar para uma formação mais moderna e eficiente.

Via Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA