Formatura PESOP FAB
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

A cerimônia de encerramento do Programa de Especialização Operacional 2021 da Turma Chronos ocorreu na terça-feira (07), na Ala 10, em Parnamirim (RN).

O evento marcou a formatura dos novos Pilotos Operacionais da Força Aérea Brasileira (FAB). Ao todo, 76 Tenentes Aviadores especializaram-se em uma das Aviações Militares da FAB: Asas Rotativas; Caça; Transporte; ou Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR).

O Comandante da Aeronáutica, Tenente-Brigadeiro do Ar Carlos de Almeida Baptista Junior, presidiu a cerimônia, acompanhado do Comandante da Guarnição de Aeronáutica de Natal (GUARNAE-NT), Brigadeiro do Ar José Virgílio Guedes de Avellar.

Também prestigiou a solenidade o Comandante de Preparo e Comandante de Operações Aeroespaciais, Tenente-Brigadeiro do Ar Sérgio Roberto de Almeida, dentre outras autoridades.

Durante o seu discurso, o Comandante da Aeronáutica reviveu o dia em que ele e sua turma entoaram o juramento do Piloto de Combate da FAB. “Após 39 anos da conclusão de meu Estágio Operacional, ocorrido em 1982, e cerca de 20 anos depois de cumprir minha tarefa de ensinar aos mais novos estagiários da Aviação de Caça, regressar à cidade Potiguar, como Comandante da Aeronáutica, é um momento de especial significado”, ressaltou o Tenente-Brigadeiro Baptista Junior.

PESOP FAB Baptista Jr.
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

“Posso dizer que esta é uma rara oportunidade de renovar os ânimos, neste importante local estratégico, que guarda em sua história feitos que colaboraram para a vitória aliada, durante a Segunda Grande Guerra, ajudando a projetar o nome do Brasil e da Força Aérea Brasileira no cenário mundial”, reforçou o Comandante da Aeronáutica.

Já o Comandante da Guarnição de Aeronáutica de Natal destacou que os pilotos são as bases da capacidade operacional da FAB. Nessa data, entregamos 76 aviadores capacitados para contribuir na atribuição da Força Aérea, que é a de defender o Brasil, impedindo o uso do espaço aéreo brasileiro para a prática de atos hostis ou contrários aos interesses nacionais, e somar forças para sermos uma Instituição de grande capacidade dissuasória, operacionalmente moderna e atuando em forma integrada para a defesa dos interesses nacionais”, completou o Brigadeiro Avellar.

Durante o evento, Instrutores e Estagiários que se destacaram no decorrer do ano receberam prêmios. Em seguida, ocorreu a entrega dos distintivos operacionais aos formandos.

PESOP FAB Brigadeiro Avellar
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

Neste ano, formaram-se oito pilotos da Aviação de Asas Rotativas; 24 da Aviação de Caça; 32 da Aviação de Transporte; e 12 da Aviação de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento (IVR). No final da solenidade, os novos Aviadores da Força Aérea Brasileira prestaram o solene juramento do Piloto de Combate.

PESOP 2021

O Programa de Especialização Operacional, cuja responsabilidade pela coordenação e execução é da Ala 10, tem por objetivo a qualificação operacional do estagiário, a fim de que o mesmo exerça as funções administrativas e operacionais inerentes aos primeiros postos da carreira.

O Programa é composto pelo curso de Tática Aérea, ministrado pelo Grupo de Instrução Tática e Especializada – GITE; pelo Curso de Especialização Operacional; e pelo Estágio Funcional, realizado no âmbito dos Esquadrões Aéreos da Ala 10.

O Curso de Especialização Operacional é o conjunto de instruções aéreas e terrestres desenvolvido nos esquadrões da Ala 10. O Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação executa a especialização de pilotos na Aviação de Transporte e na Aviação de Inteligência, Vigilância e Reconhecimento; o Primeiro Esquadrão do Décimo Primeiro Grupo de Aviação especializa pilotos na Aviação de Asas Rotativas; e o Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação especializa pilotos na Aviação de Caça.

PESOP FAB Tropa
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

A qualificação obtida com a conclusão do Programa de Especialização Operacional é o passo inicial na carreira do Oficial Aviador.

Os novos pilotos de Asas Rotativas, de Caça, de Patrulha, de Transporte e de Reconhecimento seguem para os Esquadrões Aéreos Operacionais do Comando de Preparo (COMPREP), momento em que terão oportunidade de fixar e aprimorar conhecimentos, desenvolver aptidões e elevar suas qualificações operacionais.

Prêmio Instrutor Padrão

Na solenidade, receberam o Prêmio Instrutor Padrão de 2021 os seguintes instrutores: Major Aviador Marcelino Aparecido Feitosa Correia, do Grupo de Instrução Tática e Especializada; Capitão Aviador Fernando Fontes Metring, do Primeiro Esquadrão do Décimo Primeiro Grupo de Aviação; Capitão Aviador Alexandre de Oliveira Maio dos Santos, do Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação; e o Primeiro Tenente Aviador Igor Sanches Salustiano Spinelli, do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação.

PESOP FAB Instrutor padrão
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

O Instrutor Padrão, escolhido por instrutores e estagiários, é aquele que, durante o ano letivo, destacou-se nos seguintes aspectos: conhecimento profissional, capacidade de transmitir seus conhecimentos, capacidade de avaliar o desempenho do aluno, dedicação à instrução, atitude militar, apresentação pessoal, pontualidade, assiduidade, cultura geral, sociabilidade e quantidade de horas de voo em instrução aérea.

Prêmio Estagiário Padrão

Outro grande momento da cerimônia foi a entrega dos Prêmios aos Estagiários Padrão de 2021. Receberam a honraria: o Segundo-Tenente Aviador Kaio de Carvalho Pereira, do Segundo Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação; o Segundo-Tenente Aviador Gustavo Tadeu Bonfim, do Primeiro Esquadrão do Quinto Grupo de Aviação; e o Segundo-Tenente Aviador Rodrigo Redigolo Costa, do Primeiro Esquadrão do Décimo Primeiro Grupo de Aviação.

PESOP FAB Estagiário Padrão
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

O Prêmio Estagiário Padrão é concedido aos formandos escolhidos pelo Conselho Operacional e de Instrução dos Esquadrões Aéreos da Ala 10 que se destacaram entre seus pares na atividade aérea e no estágio funcional, entre outras atividades, durante o ano.

Ópera do Danilo

Também ocorreu uma homenagem aos novos pilotos na segunda-feira (6), com uma apresentação da Banda de Música e da Ópera do Danilo. O evento contou com a presença do Comandante da Aeronáutica, dos Comandantes das Organizações Militares da GUARNAE-NT, e de Instrutores e Estagiários do PESOP.

A apresentação aconteceu no Cine Campal, ou Drive-in, como era chamado pelos americanos que estavam baseados na Base Aérea de Natal, em 1945, quando milhares de soldados se sentaram para receber notícias de casa, ou ter um momento de entretenimento assistindo filmes ou apresentações artísticas como forma de se distrair das agruras da Segunda Guerra Mundial.

PESOP FAB Ópera
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

A Ópera do Danilo narra a saga do Tenente Danilo Marques Moura. Após ter seu P-47 Thunderbolt abatido pela artilharia antiaérea alemã na Itália, o Oficial percorreu uma jornada de 340 quilômetros caminhando durante 30 dias.

Passando despercebido pelas Forças do Eixo e contando com a ajuda da população italiana, ele conseguiu chegar à base aliada em Pisa, 19 quilos mais magro do que partira. A história da fuga foi composta e encenada pelos próprios colegas dele, logo após o regresso, com os relatos das aventuras pelo território inimigo.

PESOP FAB ópera
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

A Ópera do Danilo foi composta pelo Tenente Luiz Felipe Perdigão Medeiros da Fonseca que, aproveitando a veia artística dos Jambocks, propôs que se fizesse uma partitura de ópera contando a extraordinária aventura do companheiro que retornava.

Colaboraram com ele o Capitão Roberto Pessoa Ramos e os Tenentes Rui Barbosa Moreira Lima, Fernando Correa da Rocha, Marcos Eduardo Coelho de Magalhães, Cauby de Paiva Magalhães, José Rabelo Meira de Vasconcellos e Othon Correia Netto.

FAB PESOP Ópera
Foto: Sargento Mônica Rodrigues/CECOMSAER

Até os dias atuais, expressando Força, Raça, Doutrina e Tradição, a aventura é tradicionalmente repetida por militares da Aviação de Caça. E, na segunda-feira (6), a Ópera foi encenada pelos novos Pilotos de Combate da Força Aérea Brasileira, sendo composta por estagiários dos Esquadrões Joker (2º/5º GAV), Gavião (1º/11° GAV) e Rumba (1°/5° GAV), para marcar a conclusão do Curso de Especialização Operacional.

Via Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA