A Força Aérea Brasileira (FAB) interceptou, na tarde desta segunda-feira (18/05), um avião de pequeno porte em voo irregular sobre o estado do Amazonas.

A ação, planejada previamente com a Polícia Federal, envolveu duas aeronaves A-29 Super Tucano da FAB, além de todo o Sistema de Defesa Aeroespacial Brasileiro (SISDABRA).

A aeronave suspeita foi classificada como tráfego aéreo desconhecido e passou pelos procedimentos de averiguação e persuasão, chegando ao tiro de aviso, tudo sob a coordenação do Comando de Operações Aeroespaciais (COMAE).

O avião foi escoltado até o pouso, no Aeroporto de Porto Urucu, em Coari (AM), onde a Polícia Federal assumiu as ações.

A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos transfronteiriços, na qual atuam, em conjunto, a FAB e Órgãos de segurança pública.

O bimotor foi submetido a procedimentos de averiguação e persuasão, inclusive com tiro de aviso durante o voo escoltado pela FAB, vindo a realizar o pouso no Aeroporto Porto Urucu, em Coari/AM, ocasião em que o piloto e o seu acompanhante saíram do avião e correram em direção à mata.

O piloto, um homem de 34 anos, natural de São Paulo/SP, antes de adentrar na mata retornou até a aeronave, tendo sido preso logo em seguida por seguranças do aeroporto.


Policiais federais se deslocaram até a cidade, onde deram continuidade às buscas do segundo ocupante da aeronave, que acabou capturado no dia 19 (terça-feira). O tripulante apresentou-se, inicialmente, com o nome correspondente ao documento de identidade que portava. Posteriormente, verificou-se que a identificação apresentada era falsa, momento em que se esclareceu sua verdadeira identidade. Trata-se de um homem de 40 anos de idade, natural de Porto Velho/RO, e foragido da Justiça pela prática de crime de homicídio.

Durante as buscas realizadas na aeronave foram localizadas substâncias cujos testes preliminares indicam se tratar de cocaína e maconha. A droga, oriunda do Peru, foi apreendida, consistindo em aproximadamente 418 quilos de cocaína e 600 gramas de maconha. A aeronave, por tratar-se de instrumento utilizado para a prática delitiva foi, igualmente, apreendida.

Diante dos fatos, a Autoridade Policial instaurou Inquérito Policial mediante Auto de Prisão em Flagrante Delito dos dois homens por tráfico transnacional de drogas e associação para o tráfico, crimes previstos na Lei nº 11.343/2006; cujas penas máximas, somadas, podem alcançar 33 anos de reclusão, além de multa.

 

Via – Força Aérea Brasileira

DEIXE UMA RESPOSTA