Caça F-15 da Força Aérea da Árabia Saudita, construído na fábrica de St. Louis, no taxi para decolagem- Foto: Boeing

O clássico caça F-15 foi por muitos anos uma das pontas de lança da USAF, após a chegada dos caças de 5º geração, como o F-22 Raptor e o F-35 Lightning II, o orçamento do Eagle e a linha de produção caíram. Ao todo foram construídos 1500 unidades do F-15, ao longo de cinco décadas.

O último F-15 construído na fábrica da Boeing no norte de St. Louis County foi há 15 anos, desde então a produção deste clássico da aviação militar ficou paralisada.

Mas as coisas estão começando a mudar, a Boeing juntamente com a USAF querem investir novamente no caça F-15, produzindo assim uma versão moderna do caça, o F-15X.

“A maior demanda de nossos clientes, a Força Aérea, é a rápida implantação no campo”, disse Prat Kumar, vice-presidente da Boeing e gerente de programa de programas do F-15. “A menos que o investimento seja realizado por nós, não estaremos em posição de responder a isso. Como você pode ver, estamos nos esforçando para nos preparar”, complementa.

Arte do F-15X da Boeing.  Foto: Boeing

O orçamento total que os EUA deverão investir nos novos F-15X é de US$ 7,8 bilhões, que inclui primeiramente oito caças e depois mais 72 unidades da aeronave. Porém, isso ainda está sendo discutido no congresso norte-americano.

A linha de produção de St. Louis está passando por atualizações e reformas para atender as demandas que estão por vir, incluindo unidades de F-15 encomendados pela Arábia Saudita, e mais de 36 caças F-15QA destinados ao Catar, parte de um pedido de US$ 6,2 bilhões realizado em 2017 já começou a ser produzido.

A linha de produção também ganhará uma nova aeronave, que será o jato de treinamento avançado T-X.


F-15C Eagle USAF. Foto -Divulgação/U.S Airforce

“Com a frota envelhecida do F-15 C/D precisando de uma substituição, o F-15EX é a alternativa mais econômica para atender às metas de prontidão, lidar com ameaças em rápida evolução e evitar lacunas de capacidade que nenhum outro caça tático no inventário pode preencher”, disse Blunt em um comunicado.

Isso mostra que mesmo que a USAF tenha operando hoje caças ponta de lanças de alcance global, como os jatos de nova geração F-22 e F-35, a versão atualizada do F-15 para guerra eletrônica ainda parece ser de interesse para a força aérea do país.

DEIXE UMA RESPOSTA