A famosa ponte aérea entre Rio de Janeiro e São Paulo é o novo foco da Globalia no Brasil, que prometeu também não utilizar o nome Air Europa em uma companhia aérea no Brasil.

A empresa já começou a montagem do seu plano de negócios, de acordo com um pronunciamento oficial do CEO do Grupo Globalia, na semana passada. Esse planejamento de rotas e a solicitação à ANAC deverá levar alguns meses.

O único mercado que a companhia deseja entrar desde já é na ponte aérea, de voos entre Congonhas e Santos Dumont, um mercado que a nova empresa precisará disputar com a Azul Linhas Aéreas, que não opera na rota mas já lançou até campanha nas redes sociais para demonstrar “pressão popular”.

A operação da Globalia e da Azul Linhas Aéreas na ponte aérea poderia ocorrer a partir da redistribuição de slots da Avianca Brasil pela ANAC, algo possível, como ressaltado em uma entrevista do Diretor da Anac, Ricardo Fenelon, para o Portal Aeroflap (Clique Aqui para assistir).

A ponte aérea é a rota mais rentável do mercado brasileiro, e de maior tráfego de passageiro, figurando até mesmo entre as 10 rotas mais rentáveis mundialmente.

Outra rota bastante movimentada está entre São Paulo e Brasília, que também figura no TOP 3 em quantidade de assentos ofertados e demanda. Mas a Globalia ainda não afirma que planeja realizar voos entre essas duas cidades.

O grupo turístico espanhol não usará a marca Air Europa em seus voos domésticos no mercado brasileiro e trabalhará em uma nova marca cujo nome ainda não foi revelado, o nome Air Brasil não pode ser utilizado.

A Air Europa continuará operando seus 18 voos semanais com suas três rotas internacionais, de Madri à São Paulo, Salvador (BA) e Recife (PE). A empresa também estuda voos entre Madri e Fortaleza.

O investimento total da Globalia nas operações do Brasil deverá ser de 5 bilhões de reais, de acordo ministro do Turismo do Brasil, Álvaro Antônio. Este valor inclui novos voos internacionais e montagem de uma rede de hotéis.