A Airbus está no meio de um cenário de transformação industrial. Em cerca de dois anos o Airbus A380 deixará oficialmente de ser produzido, e ao mesmo tempo a empresa tem uma demanda recorde para aviões da família A320, principalmente após o lançamento do A321XLR em 2019.

E para sanar alguns problemas de atrasos nas entregas do A321, que ainda estão ocorrendo, a Airbus vai aumentar especificamente a produção da maior variante da família A320neo.

“Vemos a necessidade de adaptar nossa capacidade de montagem para refletir nosso mais a produção do A321 na família A320 a partir de 2022”, disse o diretor de operações, Michael Schoellhorn, à Reuters por e-mail.

A produção será expandida inicialmente em Toulouse, na França, mesmo local onde a Airbus realiza a montagem final do A380, aproveitando os hangares já existentes.

A Airbus estuda expandir a fabricação do A321 e da família A320neo nos Estados Unidos e também na China, mas isso ainda está em fase de estudo.

A porcentagem de entregas do A321 na produção da Airbus triplicou desde o início do século para 16%, e a Airbus espera elevar para 50% até o final da próxima década, acreditando no sucesso das novas variantes de maior alcance do A321neo.

Boa parte da produção do Airbus A321 está agora concentrada na nova linha da Airbus em Hamburgo, na Alemanha, mas problemas na implementação do conceito Airbus Cabin Flex (ACF) como padrão está atrasando entregas, devido à maior quantidade de horas necessárias para a fabricação da aeronave.


De acordo com a Reuters, há uma limitação no norte da Alemanha de mão de obra, e engenheiros especializados, algo que está “aborrecendo a Airbus”, visto que os engenheiros não seguem a curva de aprendizado, tempo e custos, para o cronograma planejado.

Boa parte da produção em Hamburgo tem novos conceitos da Airbus, como a montagem com ajuda de robôs.

A nova linha em Toulouse não levaria a um aumento imediato na produção da família A320, mas permitiria à Airbus acelerar a introdução de novas tecnologias.

Há risco dessa expansão de produção do A321neo, planejada pela Airbus, virar um assunto de negociações econômicas entre países, visto que a Alemanha também tem participação na Airbus, assim como o Governo Francês.

 

Via – Reuters

DEIXE UMA RESPOSTA