OTAN Finlândia
Caças F/A-18C Hornet da Finlândia com um KC-135 Stratotanker da USAF. Foto: Força Aérea Finlandesa.

A Finlândia e a Suécia parecem ter dado mais um importante passo para a entrada na Otan, após semanas ressaltando o interesse de entrar para a aliança militar que engloba países europeus e os EUA.

A informação foi compartilhada por autoridades dos Estados Unidos, de acordo com o The Times, que estão diretamente ligadas às negociações. Para a entrada dos dois países na Otan precisa haver uma aprovação em massa dos membros da aliança militar. Provavelmente a inserção dos países na OTAN seja formalizada ainda em 2022, de acordo com as fontes.

Em fevereiro representantes da Finlândia e Suécia participaram de uma reunião, onde foram discutidos os próximos passos da Aliança em relação à guerra entre Rússia e Ucrânia.

Caças JAS-39 Gripen da Suécia e bombardeiros B-1B Lancer dos EUA. Foto: Força Aérea Sueca.

Nas últimas semanas pesquisas de opinião da Suécia e Finlândia demonstram um aumento do apoio popular para a entrada dos países na Otan, em alguns casos acima de 60% do público entrevistado. A recente invasão da Rússia na Ucrânia é o principal motivo do maior apelo popular.

A Finlândia, por exemplo, tem uma fronteira de 1340 km com a Rússia, e um histórico recente de invasão na Segunda Guerra Mundial, em uma missão fracassada para os russos. 

O principal apelo, neste caso, é por uma defesa conjunta de mais de 30 países europeus e os Estados Unidos, em caso de ataque russo a algum país da OTAN. A porta-voz do Ministério das Relações Exteriores da Rússia, Maria Zakharova, respondeu dizendo que haverá retaliações se as duas nações se juntarem à Aliança liderada por Washington.

Por enquanto só há movimentação política na Suécia e na Finlândia, para a entrada na OTAN ser primeiramente autorizada pelo parlamento de cada país.