Finnair

Um Airbus A319 da Finnair está sendo encaminhado pela companhia aérea para uma desmontagem total. O procedimento será realizado nas instalações da empresa no Aeroporto de Helsinque-Vantaa (HEL).

A aeronave que será desmontada tem cerca de 21 anos de uso pela companhia, e suas peças serão reaproveitadas em outros aviões da companhia.

De acordo com a Finnair, é possível aproveitar principalmente os motores do avião, os assentos, trens de pouso e componentes eletrônicos.

Essas peças serão estocadas pela companhia aérea de acordo com as normas de segurança da aviação. Se algum avião precisar, a peça será retirada da estocagem, avaliada, incorporada no avião e testada.

“Como companhia aérea, nosso plano é reutilizar o máximo de peças possível. Nosso parceiro será capaz de reciclar mais de 90% das aeronaves restantes, talvez 95%. Os números exatos ficarão mais claros quando o trabalho for concluído. Eles são capazes de reciclar quase tudo. Já disseram que o desperdício da aeronave será muito pequeno”.

Até 98% de uma nova aeronave pode ser reutilizada e reciclada. Com aeronaves mais antigas, como o A319, cerca de 90% dos componentes podem ser reaproveitados.

“Componentes e peças de toda a aeronave serão reaproveitados dependendo de nossas necessidades no momento. Todas as peças serão inspecionadas cuidadosamente e, se necessário, reparadas. Os trens de pouso podem ser instalados em outra aeronave, pois esses foram recentemente revisados. E o APU também vai ser reaproveitado, assim como muitos componentes aviônicos. Estamos armazenando as peças em nosso próprio estoque, o que nos dá mais flexibilidade para dar suporte ao restante de nossa frota daqui para frente.”

Por padrão as empresas do setor de aviação costumam aproveitar peças usadas. A durabilidade da mesma é catalogada pelas empresas de acordo com ciclos de uso ou horas. Dessa forma, é possível reaproveitar com segurança uma peça já utilizada em outro avião.

Além disso, devido ao alto custo de peças novas do setor de aviação, essa análise de durabilidade e estocagem detalhada compensa os custos de reaproveitamento das peças já utilizadas.

A maioria das empresas que realizam esse tipo de trabalho está localizada em zonas secas, onde o clima é favorável para o armazenamento de aeronaves por longos períodos. Esta é a primeira vez que uma aeronave comercial será desmontada na Finlândia. 

É um projeto incomum para a Finnair, pois é diferente do trabalho normal de manutenção da empresa, principalmente quando se trata de planejamento e gerenciamento de projetos.