Avianca Brasil

Dois anos atrás, aproximadamente, a Avianca Brasil deixou de operar definitivamente no país, cancelando diversos voos, com muitas aeronaves devolvidas ou ficando em solo. Vamos relembrar neste artigo uma experiência de voo da antiga empresa do condor vermelho.

 

Voo O6 6064

O voo O6 6064, tradicionalmente partindo do Aeroporto de Congonhas para Brasília, antes da chegada do Airbus A320, era operado com o Fokker 100, no caso da Avianca, o MK-28. Este voo sempre teve uma ocupação alta, e garantia condições para a empresa concorrer com a LATAM e a GOL.

De vez em quando, conseguíamos encontrar passagens a preços bem atrativos e isso garantia que a Avianca conseguisse operar nos horários de pico entre as grandes cidades. A rota Congonhas-Brasília é uma das mais lucrativas do país, pois é uma rota onde se tem grande demanda de passageiros à negócios, quase uma ‘ponte-aérea’.

Foto: Gabriel Melo

Este voo foi o último deste redator na Avianca Brasil, tendo sido operado no dia 22 de abril de 2018, meses antes de iniciar o colapso na empresa que resultaria no encerramento definitivo de suas operações.

 

Aeronave

Operado na ocasião pelo Airbus A320 de matrícula PR-OCB, a aeronave foi recebida diretamente da fábrica em outubro de 2014. A configuração escolhida pela empresa foi para 162 assentos, mantendo um bom nível de conforto.

Essa configuração foi escolhida com base no foco da empresa em proporcionar a melhor experiência do passageiro, com serviço de bordo diferenciado, entretenimento individual e espaço entre as poltronas.

Foto: Gabriel Melo

As novas aeronaves da família A320 já chegaram com os novos assentos revestidos em couro e encosto de cabeça e para os pés. A aeronave era considerada uma das mais confortáveis em operação no Brasil.

Atualmente essa aeronave está voando pela LATAM Brasil, com a matrícula PR-TYI. Até onde apuramos, ainda com o interior da Avianca.

O voo partiu dentro do horário, com a ocupação acima de 95%. Com um bom horário para retornar à Brasília, uma boa tarifa, era de se esperar uma ocupação alta. Na época, a Avianca operava a rota três vezes ao dia, aumentando para cinco frequências durante a alta temporada nas férias.

Decolamos pela pista 17R, que é a pista principal do Aeroporto de Congonhas com 1.940 metros. Rapidamente estabilizamos em 36 mil pés ao bonito pôr do sol.

 

Serviço de Bordo

O serviço de bordo da Avianca tinha um claro objetivo, oferecer um lanche atrativo e diferenciado para que os clientes sempre quisessem voltar a voar com a empresa. Os lanches variam entre sanduiches com diferentes recheios e pães de queijo recheados, o serviço varia de rota para rota.

Na ocasião, foi servido um sanduiche com presunto, queijo e orégano e molho branco, acompanhado de um doce. As opções de bebidas variam de suco de laranja, manga e uva à refrigerantes e café.

 

Entretenimento

O sistema de entretenimento da Avianca possuía na parte de trás uma tela sensível ao toque e com controle. O controle possuía dois lados, um com teclas especificas para jogos e outra com teclado alfanumérico e com setas para navegar com facilidade.

O conteúdo oferecido era de filmes dublados e legendados, além de algumas séries salvas na memória do sistema. Havia também jogos que podiam ser jogados entre passageiros a bordo como Xadrez. A Avianca implementou o sistema de entretenimento individual em 2010 com a mudança de marca e a chegada dos novos Airbus A319.

Além dos jogos e filmes, o sistema permitia acessar um mapa de voo, que informa a localização, altitude, velocidade e temperatura externa. Nas informações também havia o tempo de voo, origem e destino.

O PR-OCB chegou ao Aeroporto Brasília por volta das 19h00, a ocupação do voo ficou acima dos 95%. O desembarque à época ainda tinha o ‘empurra-empurra’, o desembarque levou um certo tempo até ser concluído. No horário, diversos voos da Avianca chegavam ao hub no Aeroporto JK, principalmente voos vindos do Nordeste.

Este foi um artigo para relembrarmos como era voar com a Avianca pouco antes da crise que culminou no fechamento da empresa no ano seguinte. Dois anos depois, surge uma nova companhia aérea brasileira que pretende oferecer serviços similares, torcemos para que a nova empresa obtenha muito sucesso.